Em Feverê, tem Carná.

• PRELUDIO:

A grande e primeira folia do ano já passou, as pessoas tiraram suas fantasias, a vontade  de pular carnaval permanece, (certeza que na Bahia ainda tá rolando pós-carnaval), mas enquanto a nós, meros mortais, a vida continua. Porém, vale a reflexão de como o “carna” é tão presente nas nossas vidas, direto ou indiretamente.

 

Fonte: topensandoemviajar.com

 

Carnaval, folia nacional. Dias de esquecer do IPVA, IPTU, e tantos outros  “I” que nos são “impostos” com tanta importância por aqueles empossados por nós. Mas afinal, é o Brasil é BR tem dessas coisas.

Ah, o Brasil! País da alegria, do calor, do tropical, do irreverente, diferente é o que somos. Receptivos, amigos, festivos. Ás vezes eu diria ingênuos, ou seria apenas: “ah, deixa pra lá”?!

Carnaval mostra um pouco da realidade do nosso país: anônimos, famosos, ricos, pobres, animados ou desanimados,todos tem seu ponto de vista sobre o carna e todos o aproveitam de alguma forma. Como não poderia deixar de ser muitos possuem seus julgamentos, mas, na verdade mesmo, quem se importa?!

Festeje, dance, pule, Grite, beije, transe, durma, descanse, beba, coma, menos ou mais, moderado ou não, faça o que tem vontade, sem…arrependimentos?

Difícil não tê-los, seja no carnaval ou em outro momento eles sempre aparecem, mas lide da melhor forma que puder, seja sambando na cara das inimigas ou chorando no quarto, não se julgue e alá Menudos: “não se reprima”.

Pois uma coisa é certa, o carnaval sempre passa e sempre será diferente, mas a quarta-feira de cinzas, sempre chega pra todos.

Comunicação: Você sabe mesmo o que é? (Confira aqui)

PRELÚDIO: ANO NOVO VIDA…NOVA?

Pois é, eu de novo. Um pouco mais de um ano sem postar nada, estamos de volta ao ar, pra tentar trazer pelo menos o minimo de conteúdo novo nesse sofrido blog abandonado. 2017 foi um ano bem intenso, mas que consegui colher muitas coisas (boas e ruins) e espero que elas me ajudem em 2018, porque tudo indica que vai ser um ano daqueles. Tenho mania de sofrer antecipadamente, mas…é a verdade. Depois de mais um ano sem postar nada no blog, nada mais justo do que dar um foco, um norte, e acredito ser o que encontrei nesse ano sabático longe do blog. Norte encontrado, mãos a obra, e vamos de: comunicação, porque é dela que se começa tudo e é dela que sempre estamos utilizando. Boa leitura!!

 

• TA, O QUE É COMUNICAÇÃO?

Comunicação, até o momento antes de iniciar esse texto era uma palavra simples de explicar. Mas assim que os pensamentos foram começando a se organizar na mente, passou a ser mais complexo e fácil ao mesmo tempo.

Fonte: pt.pngtree.com

Já sei, deixei o texto confuso logo no primeiro parágrafo ou a sua vontade de ler menor, porém, se ainda está aqui explico o por quê. Há um pouco mais de um ano eu passei a descobrir como a comunicação é de fato um dos pontos mais altos de toda a sociedade, ou melhor, de toda a civilização humana. E, como daqui para a frente ela será cada vez mais importante. Se buscarmos sua definição mais literal na internet é difícil chegar a um conceito único, algo que a defina simplesmente, pois, como sabemos, existem diferentes formas de comunicação e maneiras de nos expressarmos. Seja através de palavras, gestos, sons, comportamentos e ações.

Como já mencionei em outro post a entrada na faculdade me fez abrir a mente para diversas coisas, percepções e atitudes que eu tinha até então. E pensando desde o final de 2015, quando finalmente confirmei meu ingresso na faculdade de Publicidade e Propaganda, semestre após semestre eu consigo reafirmar que sim, é isso que quero fazer da minha vida. Muitas pessoas pensam que essa área de atuação só tem o glamour de grandes produções, sejam de comerciais, filmes, etc. De conhecer artistas, participar de festas incríveis, e sim, tem tudo isso, mas não é pra qualquer um e também não é “só isso”. Existe muito trabalho duro, muito aprendizado, e não são todos que estão dispostos a de fato colocarem a mão na massa. Esperando apenas colher frutos que em muitas vezes ou não mereceram ou fizeram 1% de todo o trabalho.

Fonte: freepik.es

Lamentações à parte, o foco aqui é a comunicação, e como tal, percebo hoje como ela não apenas é a base do curso que faço, mas como mencionei alguns parágrafos acima ela é um dos pontos mais altos da sociedade. E por ser algo tão grandioso, defini-la de uma forma simples é às vezes bem complicado.

Mas se tentarmos deixar da forma mais simples e direta possível, a comunicação nada mais é do que quando alguém (emissor) que envia uma mensagem a outra pessoa (receptor), tem acesso a essa mensagem, de alguma forma. E partir daí, existem milhares de variações de como essa mensagem é transmitida, de que forma e de como é receber e por quem é recebida, existem também os ruídos entre a transmissão dessa mensagem e também a interpretação da mensagem passada, a forma como foi enviada pode interferir nisso. Parece confuso (e em alguns momentos é), mas é algo que fazemos diariamente, diversas vezes e não nos damos conta. (Se algum professor meu ler isso e estiver errado, por favor me corrija em off, já passo vergonha demais na internet).

 

• COMUNICAÇÃO É COISA VELHA

Acredito que, dentre todas as invenções do ser humano o ato de comunicar-se foi o mais natural e importante para toda a sua história. Nos primórdios da vida humana o homem primitivo se comunicava, através de gestos e gritos e com o tempo foi evoluindo sua capacidade, através de desenhos que tempos depois foram descobertos por historiadores que comprovam como a comunicação na civilização é de extrema importância, pois além de transmitir uma mensagem, passa uma história, acontecimento, sonhos, desejos, pensamentos. Tudo o que nos constitui como seres humanos.

Fonte: informhealth.com

Com o tempo, civilizações foram criadas, se modificaram e desenvolveram formas de se comunicarem melhor, de se expressarem e de terem registros dos acontecimentos que estavam à sua volta, bem como criar histórias, lendas, folclores, mitos, contos de fadas, etc. Isso não só ajudou no desenvolvimento intelectual, mas na cultura e tradições que conhecemos até hoje.

Entendendo como a nossa história de comunicação começou, percebemos o quão longe nós chegamos e o quanto desenvolvemos essa arte que é se expressar. Seja verbalmente ou não, com gestos, sons, sentimentos. Nós conseguimos atingir um nível tão alto de interação entre a própria espécie com a comunicação que nenhum outro ser vivo já conseguiu.

Fonte: metronews.ca

A maioria das pessoas acredita que só nos comunicamos através da fala, porém, como já mencionei aqui, nos comunicamos desde os primórdios da civilização através de gestos, sons, etc. Mais de 70% da nossa comunicação não é verbal, apesar de termos evoluindo muito a forma com que passamos nossas informações, contamos histórias e interagimos entre nós, os gestos e expressões que são extremamente importantes no nosso dia a dia e na forma como tratamos e lidamos com as pessoas que estão presentes nas nossas vidas, ainda são a base da comunicação humana.

A série Lie to me (Minta pra mim), mostra bem como essas expressões são de extrema importância e como através de pequenos gestos e ações estamos nos comunicando, seja voluntariamente ou não, o nosso corpo se comunica e aliás, ele não mente.

(vídeo de introdução da série).

Por esse e outros exemplos a comunicação pra mim, é algo que está na “raiz” do ser humano, algo que o define, e o faz ser quem ele é. Por essa razão, aqui no blog, teremos um foco maior nessa arte. E como diria o velho guerreiro Chacrinha: “Quem não se comunica, se trumbica”, ela faz parte da nossa vida e sem ela, o relacionamento humano não pode ser vivido de fato, pois é o que nos define, quem mostra e diz quem somos.

Engraçado como todas essas reflexões e pensamentos são coisas que utilizamos tanto em nosso dia a dia, que eu mesmo, estudante de comunicação, nunca tinha parado pra pensar o quão complexa, extensa e cheia de variáveis, opções, ruídos e formas ela poderia ter e como está tão intrínseca as nossas vidas. É muito louco isso e ao mesmo tempo incrível.

Então, como podemos ver a comunicação não é uma “coisa” apenas, um instrumento que utilizamos a nossa vida toda, mas algo que nos permite mostrar quem somos, e defini-la simplesmente em uma palavra ou em um texto é bem difícil, ainda mais para um mero estudante de comunicação que tem muito o que aprender. Reconheço que são muitas as reflexões mas já tenho uma certeza: a comunicação é algo que nos define, que diz quem somos. 

E você? Quem é?

 

 

Gostou do texto? Curta, comente, compartilhe! Somos todos ouvidos, olhos e teclas. Aqui é um espaço aberto para mostrar a sua opinião (óbvio, desde que ela respeite a dos outros). Fique à vontade, a casa é nossa! E acesse também o site meio e mensagem e conheça mais sobre a comunicação, suas campanhas e interações.

Em breve mais um texto falando desse assunto cheio de assuntos = comunicação é vida!

 

     

 

 

 

TENTE OUTRA VEZ

E QUANDO VOCÊ ACHAR QUE NÃO DA MAIS, TENTE DE NOVO.

Pois é, 2016 finalmente acabando (que vá logo) e nessas horas aquelas retrospectivas internas começam, aqueles mil planos que você tinha anotado na sua lista no inicio do ano e não foram cumpridas. Aquela ida a academia adiada, evitar doces e refrigerantes mas quando se vai em uma festa de criança é impossível evitar isso. A frustração no trabalho ou no relacionamento, começam a pesar nessa reta final do ano.

E é bem provável que em alguns momentos podemos pensar que nada está dando certo ou que não foi da forma que gostaríamos ter sido e isso frustra, cansa.

Cansado, nunca uma palavra fez tanto sentido. Cansado, não de tudo ou de todos, mas de ver como certas coisas por mais que tentamos talvez nunca mudem. Olhar e perceber que talvez o tempo “gasto” não será o suficiente.

A única coisa que faz algum sentido é o descontentamento, a tristeza, a impotência, o cansaço…de forma forte e violenta que mal se dá conta de administrar. Está aí, mas uma “falha” administrar. Quando se é jovem  se pensa que pode segurar o mundo com as mãos, que pode ter o controle de tudo a sua volta. Mas basta o tempo passar para outra realidade tomar frente da vida. Que ter o controle de tudo não só é impossível como algo que nunca poderá ser feito.

O importante é não desistir né pai. Fonte: Divulgação Google.

O importante é não desistir né pai.
Fonte: Divulgação Google.

Pois esse é o mistério e a graça da vida, não ter certeza do dia de amanhã. Planos são feitos, metas determinadas, mas nunca se sabe se realmente serão feitas ou conquistadas. “Pois a vida, é uma caixinha de surpresas”.

E nesse momento a surpresa maior é o cansaço, onde irá dar isso? Eu não sei, quem sabe? Talvez daqui algum tempo, pois nada nessa vida é eterno, e tudo tem o tempo certo para começar e terminar, mas infelizmente esse tempo, não é determinado pelos interessados.

Se você está lendo até aqui deve estar imaginando que esse texto trata-se apenas de uma queixa de alguém visivelmente frustrado com a vida. Mais, responda para si mesmo: “você nunca foi frustrado com nada em sua vida?” – se não é, meus parabéns você está em um seleto grupo de pessoas felizes e contentes que vivem na terra do não existe.

Porém, se por algum motivo você lembrou de alguma fase da vida em que se frustrou, em que ficou chateado consigo mesmo, com alguém ou sei lá, com a vida. É pra você que digo isso. Pra você entender que, não está sozinho, não será o primeiro e nem será o último. Assim como você chegou aqui outros virão e assim como você outros sairão dessa “zona de frustração existencial”. Basta querer.

Se conformar com uma situação desconfortável, achar que não tem solução e simplesmente não fazer nada, ou pior somente se queixar de que tudo acontece com você ou que as coisas vão de mal a pior, não resolve a situação. Só faz com que ela se complique ainda mais.

No momento meu caro, só lhe resta viver, seguir em frente, pois uma guerra não é ganha apenas com vitórias, é na batalha perdida que as maiores lições são aprendidas, e nelas fortalecidas as convicções e desejos. Não é chorando no seu quarto ou vivendo emburrado e tratando mal seus familiares e amigos que as coisas serão resolvidas. Aliás, pelo contrário, isso só irá fazer com que você se afaste dessas pessoas importantes da sua vida.

Então, antes de jogar a toalha, “tente outra vez”, não desista.

A companhia de teatro “Os Melhores do mundo” mostra bem como perseverança e não desistir nunca pode ser sim a melhor saída. Pois a vida, sempre será uma caixinha de surpresas:

 

 

 

 

 

O SEMESTRE

(A incrível arte de perder o rumo da vida em poucos meses)

Preludio: Sumindo novamente

No último post escrevi que estava conseguindo conciliar todas as esferas da minha vida a ponto até de conseguir escrever com frequência no blog. Pois bem, essa organização toda não durou muito e como diz um amigo meu “ a bicicletinha perdeu o freio bem na descida”. Mais de três meses desde a última publicação e muita coisa aconteceu e claro eu não consegui manter os planos de postar regularmente. Estou ao ponto de começar a rever as coisas que escrevo.  Esse primeiro semestre tem muita culpa nisso

• O QUE TA ACONTESENO?

Minha ideia inicial meses atrás era fazer um post destinado ao primeiro semestre deste ano e postá-lo entre o final de maio começo de junho. Porém, como podem perceber não foi bem isso o que aconteceu. Todo esse primeiro semestre foi importante para mim, mas o mês de maio sempre tem um sabor  especial.  Não é um mês diferente somente pelas datas comemorativas que temos nesse mês como o dia do trabalho, dia das mães, dia da abolição da escravatura no Brasil, excecionalmente esse ano Corpus Christi, dia do enfermeiro, dia da Língua nacional, dia do Gari, dia das bandeiras, dia do estatístico, dia do apicultor e por último mais não menos importante meu aniversário é claro. E também dia em que faz um ano desde que dei esse novo rumo ao blog. Exatamente no dia do meu aniversário “inaugurei” o domínio urbanavida.com. Foi um dos dias que mais me deu felicidade e dor de barriga por ansiedade.

Queria colocar logo o blog “no mundo” e mostra-lo para todos. E para minha felicidade aquele post foi bem acessado.

Divulgação: Google

Divulgação: Google

“22 coisas que aprendi aos 22 anos” é um dos posts com mais visualizações desse 1 ano de novo blog. E em algum momento essa ansiedade, essa vontade de postar meio que se perdeu. Manter periodicidade nas postagens tem sido um desafio e uma frustração enorme. Em alguns momentos consigo em outros desapareço por completo do blog. São ações simples que podem melhorar isso mas não, faço questão de torna-las complicá-las. Acho que estou precisando reler o texto sobre procrastinação que escrevi anos atrás pra lembrar como é difícil essa vida e tentar sair dessa.

Acredito que um dos maiores desafios foi a faculdade sem dúvidas. Como mencionei no meu último post meses atrás, reiniciar essa vida acadêmica depois de um tempo parado iria ser difícil. Me concentrei tanto a faculdade que acabei esquecendo que ela por si só na verdade não foi o mais complicado, mas sim, conciliar tudo o que faço. Não só a faculdade, mas o trabalho, a socialização com meus amigos e família, escrever no blog claro, os dias que você não tem vontade de fazer nada a não ser deitar, como e dormir  (aaah saudades de fazer isso). Todas essas atividades exigem tempo, exigem uma programação melhor desse tempo e uma certa dedicação para que aconteçam da melhor forma possível, algo que eu falhei miseravelmente.

 

• YOU HAVE FAILED THIS CITY

fonte: duastorres.com.br

Ao maior estilo Arqueiro Verde nos bons tempos “Eu falhei com essa cidade”. O principal intuito do blog era falar de coisas cotidianas, coisas da rotina dessa vida totalmente urbana que levamos, coisas que observo no dia a dia da cidade, mas que nesse semestre mal consegui fazer. Meu bloco de notas do celular está cheio de ideias que foram esquecidas e deixadas de lado ao longo desses seis meses (sim eu uso o bloco de notas apesar de muita gente nem saber para que tem isso no celular).

Não estou escrevendo isso apenas para me lamentar de como fui falho naquilo que queria fazer, mas uma forma de mostrar como as vezes fazemos mil planos mirabolantes e que na nossa cabeça vai super dar certo e no fim não temos o foco suficiente para que esses planos saem da nossa mente e se tornem realidade. E nesses momentos de frustrações as pessoas tendem a jogar a culpa em elementos externos. Na falta de tempo, que trabalham demais, estudam demais, imprevistos que acontecem, o que realmente pode acontecer. Mas, será que são sempre esses os vilões de nunca conseguirmos realizarmos determinados planos e atividades? Eu duvido muito. O fator interno com certeza é um dos principais motivos. E com certeza eu mesmo sou o meu maior problema para conseguir ter um desempenho melhor no blog.

É meio louco e estranho achar e pior, publicar isso na internet, de que eu sou meu maior problema. Eu tenho certeza que Freud deve ter uma puta explicação lógica e de como a psiquê humana interfere nisso, mas, de forma mais clara estou cometendo auto sabotagem.

 

• VOCÊ É SEU MAIOR PROBLEMA

Pois é meus nobres e estimados colegas, aquele dia que você acorda numa puta preguiça mas tem uma carreta de exercícios para entregar ao professor de matemática (graças a Deus eu escolhi humanas), ou aquele texto de 6 páginas que deve resumir de um outro texto de 50 páginas. É nesse dia, justo nesse dia que você deveria trabalhar mais, se dedicar mais, ter um empenho diferente dos outros dias, é justo nesse, que você menos faz o que deveria fazer.

Não digo isso só para tarefas da escola ou faculdade, desde as mais simples, de levar o lixo pra fora até praticar

Divulgação: Google

Divulgação: Google

exercícios. Coisas que sabemos ser essências ou terem sua importância mas que por fim  acabamos atrasando, deixamos de lado ou o que mais acontece: deixando pra última hora. É uma situação difícil do ponto que, a partir do momento em que você toma ciência que  vive no“mundinho de preguiça” sair dele é ainda mais complicado. Mas não impossível. A auto sabotagem faz isso, nos mantém, acomodados e inertes em uma situação, “só” nos cabe sair dela, mudar ela, a nossa própria vontade.

“Como?”  – Você acomodado como deve ter se perguntado. Se eu soubesse a resposta dessa crise existencial não estava aqui escrevendo esse texto e refletindo comigo mesmo sobre o assunto. Não existe fórmula mágica. Existe força de vontade e vontade de fazer diferente de ver a vida indo pra frente tomando novos rumos, alcançando novos horizontes e não estagnada. Nos queixando e reclamando de como a vida é injusta.

Ninguém consegue essa mudança da noite para o dia. Beethoven não compôs a nona sinfonia de uma pra outra. Bejamin Franklin não inventou a eletricidade de uma hora pra outra. MC Biel não acabou com a “carreira” dele de uma hora pra outra, não pera…

O que quero dizer meus amigos, para reflexão de todos nós, e no momento reflexão minha, é que com as pequenas mudanças, as pequenas atitudes diferentes que tomamos são passos importantes para acabar com essa auto sabotagem e mania de colocar a culpa em tudo que nos cega.

A disposição é sua e somente sua. E terminando aqui parafraseando Emicida em um grau mais profundo de reflexão “você é o maior representante do seu sonho na face da Terra. Se isso não fazer você se mover chapa, eu não sei o que vai”.

 

Super-herói do dia a dia: A jornada dupla de trabalhar e estudar

(De dia atender clientes e ser eficiente no trabalho, de noite ser entusiasta e disposto a aprender mais. Nem o Demolidor iria aguentar tanto pressão assim sem pedir arrego de vez em quando).

• PRELUDIO: O SUMIÇO DAS REDES SOCIAIS

Primeiro de tudo é que sim, eu sumi novamente. Para a minha tristeza e do meu blog, eu estou longe das redes sociais como um todo há alguns meses. Não porque simplesmente me neguei a fazer parte de toda essa conexão online que vivemos, mas sim porque estou sem tempo mesmo. Voltando a essa rotina de trabalho e faculdade estou tendo uma dificuldade para organizar de forma eficiente. Mesmo fazendo um planejamento antes percebi que não foi suficiente e acabei me afastando do meu blog. Por fim, depois de quase dois meses de aula acho que agora estou de fato conseguindo engrenar as coisas de forma eficiente, tanto é que neste momento até post novo saiu. Contarei mais sobre essa vida louca de universitário e trabalhador brasileiro nas próximas linhas.

• O BIXO NA FLORESTA CHAMADA FACULDADE

Seus olhos se enchem de emoção, o sorriso bobo estampado no rosto, você não faz a menor ideia de onde é a sua sala, fica perdido olhando para as pessoas e portas com cara de tonto e começa a perdir informações de aonde é o banheiro pelo amor de Deus? Se você já fez alguma dessas coisas parabéns, você é o mais recente calouro de alguma universidade.

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Apesar dessa experiência não ser novidade para mim, entrar novamente em uma faculdade foi algo totalmente novo e desafiador. Aprender sobre um outro curso, uma outra perspectiva, a chance de conhecer pessoas novas me anima muito e só isso me fez ficar com cara de tonto no primeiro dia de aula. Logo nos primeiros dias de aula de toda aquela apresentação formal da faculdade e do curso aos calouros finalmente iniciam-se as aulas, e logo no primeiro dia algo dito me chamou a atenção e que me fez perceber algo na minha personalidade que não havia reparado antes: eu gosto de estar em uma sala de aula. Por mais estranho que algumas pessoas possam achar, ou coisas como: “O que? Não vejo a hora de terminar meu curso, não aguento mais sala de aula! ” – Eu, no entanto, percebi que gosto dessa experiência. Após ouvir de uma das minhas várias professoras que terei ao longo de semestre dizer algo semelhante, que a vivencia em sala de aula é realmente um ambiente enriquecedor e faz com que você possa ter e ver o desenvolvimento intelectual de diversas pessoas inclusive o seu é claro. E participar desse crescimento pessoal e coletivo é uma das coisas mais incríveis que podemos ver.

Após me livrar do trote universitário que na verdade nada mais foi do que um trote mesmo pois não existiu, a familiarização com a faculdade e de como as coisas funcionam foi se tornando natural e quase que imperceptível. Quando se dá conta você já está chamando o segurança de brother e dando boa noite e conversando até com os professores que nem tem aula ainda.

 

• FORMANDO AS PANELINHAS 

Ah, esse conglomerado de seres humanos em aprendizado intelectual nesses ambientes acadêmicos é normalmente incrível. Adoro (sqn) as panelinhas. Apesar de saber que elas existem desde os primórdios do mundo (ou você acha que todo mundo da Galileia era fechadão com nosso Senhor Jesus?), eu confesso que hoje não sou muito fã de panelas. Elas só têm como objetivo dividir e trazer discórdiaporém, elas são naturalmente formadas ainda mais em uma faculdade. Aprendi recentemente que sempre iremos procurar pessoas semelhantes a nós para estarmos próximos, dessa forma a formação de panela é inevitável, por sorte consegui estar em uma sala onde todo mundo acabou criando uma empatia muito grande com todos. Mas assim como no Big Brother, depois do primeiro paredão as coisas começam a mudar de figura e começamos a perceber quem é quem e ai sim, as panelas começam a ser utilizadas e o óleo de fritar passa a fazer parte dessa culinária acadêmica. É inevitável.

Apesar disso, os atritos são fundamentais para esse crescimento acadêmico, pois com certeza contribui para o que virá após a formatura. Como é de conhecimento de todos, não vamos trabalhar com aquele BFF para sempre, ainda mais se tiver apenas uma vaga na seleção de emprego naquela multinacional que ambos querem entrar. Saber lidar com essas situações com certeza é chave entre ter um bom networking ou ser apenas aquele cara chato da faculdade que a galera só faz trabalho em grupo porque o professor (a) obrigou.

 

 

• MESTRE LINGUIÇ…DIGO, QUERIDO PROFESSOR!

Divulgação:Google

Ah, amados mestres, como vossa participação nesse desafio de ser universitário é crucial. Sempre fiquei fascinado de como exercer a profissão de professor é algo muito desafiador ao mesmo tempo que imagino eu deva ser recompensador. Todas aquelas ideias lançadas, aquelas perguntas que te fazem ficar com cara de paisagem para que no fim, você finalmente entenda os caminhos que ele (a) quis te conduzir. E nessas poucas semanas de aula já percebo como meus professores são pessoas que tem muito a acrescentar e a desenvolver no conhecimento de todos nós alunos.

Claro que há sempre aquele mais chatinho, que quer tudo certinho, arrumadinho do jeitinho dele. O falastrão que se perde no meio da explicação e ficamos mais em uma sala de bate-papo do que em uma sala de aula, o que não é ruim pois a troca de informações e de conhecimento acontece da mesma forma. Basta filtrá-las de forma adequada. Há também aqueles em que cada aula é uma surpresa e um misto de ódio e de alegria se misturam dentro de você, e aqueles claro que você admira de uma forma que não tem nem palavras direito pra explicar, apenas dizer: “esse (a)  professor (a) é Foda!”.

• MAS E AGORA, QUEM PODERÁ ME DEFENDER?

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Nem Chapolin se arrisca a dizer isso, você mesmo é que deve. Até porque você não precisa de super herói para se defender, você já é um super herói. O jovem que hoje, sai de sua casa as 05:00, 06:00 da manhã do conforto de sua casa, enfrenta um dia estressante de trabalho, de refeições rápidas e muitas vezes não saudáveis, que enfrenta um transito desgastante todos os dias, e ainda tem disposição para estar  ate as 22:00 hrs dentro de uma sala de aula com vontade de aprender, é um puta super-herói. Um super-herói dos seus sonhos, pois você salva esses sonhos toda vez que entra na sala de aula e busca por conhecimento, um super-herói que tem como foco mudar não só a sua vida, mas de todos aqueles que estão a sua volta vendo seu esforço.

Se você se identifica assim, com certeza é puta super-herói. Nem o Batman conseguiria tanto. Se bem que com o dinheiro do Bruce Wayne as coisas poderiam ser mais fáceis não é mesmo? Essa semana meu pai me enviou o trecho de uma música que já conhecia, mas que hoje faz ainda mais sentido na minha vida. E coroa, obrigado por isso, me fez lembrar lições que você mesmo me ensinou para sobreviver nessa vida e que com certeza levarei sempre comigo. A você, meu muito obrigado por isso e por tudo.

“Porque o sol não espera, o tempo não cansa. Ontem você pediu, você pediu, mas uma oportunidade, mas uma chance. Como Deus é bom né não nego? (…) a preguiça é inimiga da vitória, o fraco não tem espaço e o covarde morre sem tentar. Não vou te enganar o bagulho ta doido e ninguém confia em ninguém, nem você, os inimigos vem de graça, é a selva de pedra, ela esmaga os humildes demais. Você é do tamanho do seu sonho, faz o certo, faz a sua (…), cabeça erguida olhar sincero, tá com medo do que? Nunca foi fácil, junta seus pedaços e sobe para a arena, mas lembrem-se, aconteça o que aconteça nada como um dia após o outro dia.” – Mano brown como sempre poeta no rap 

Esse trecho da música dos Racionais Mc’s já está se tornando um verdadeiro Hino para mim, o rap me traz esse sentimento de que por mais que as coisas são difíceis, sempre existe uma forma de se resolver e alcançar seus objetivos. Isso é só o começo, os desafios só estão chegando. Isso parece muito frase de para-choque caminhão e clichê demais, porém, não há forma melhor de mostrar de como as coisas realmente estão sendo ultimamente e irão ser. Apesar de toda essa correria, a quantidade de informações que eu recebo diariamente que fazem meu cérebro sacudir dentro do crânio, mesmo essa vida de super-herói urbano sendo uma vida perigosa e cheia de inimigos mortais, como o sono, preguiça, indisposição, estresse, trabalhos sem fim que os professores passam, eu estou feliz. Feliz por poder ter a oportunidade de aprender tanto, de conhecer tanto, de me relacionar com pessoas que nunca pensei em ter contato.

Ser um super-herói não é definitivamente uma profissão fácil, mas agora entendo porque eles continuam lutando e lutando, pois acreditam em um futuro melhor, uma vida melhor. Não só para eles mas para todas as pessoas que os cercam e até mesmo aquela que estão longe. Tio Ben não poderia ter acertado mais quando disse que com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

 

Obs.: Pra quem não conhece, segue abaixo a música “Sou + você – Racionais Mc’s” que citei no texto.