Destaques, Sociedade / dezembro 28, 2016

TENTE OUTRA VEZ

E QUANDO VOCÊ ACHAR QUE NÃO DA MAIS, TENTE DE NOVO.

Pois é, 2016 finalmente acabando (que vá logo) e nessas horas aquelas retrospectivas internas começam, aqueles mil planos que você tinha anotado na sua lista no inicio do ano e não foram cumpridas. Aquela ida a academia adiada, evitar doces e refrigerantes mas quando se vai em uma festa de criança é impossível evitar isso. A frustração no trabalho ou no relacionamento, começam a pesar nessa reta final do ano.

E é bem provável que em alguns momentos podemos pensar que nada está dando certo ou que não foi da forma que gostaríamos ter sido e isso frustra, cansa.

Cansado, nunca uma palavra fez tanto sentido. Cansado, não de tudo ou de todos, mas de ver como certas coisas por mais que tentamos talvez nunca mudem. Olhar e perceber que talvez o tempo “gasto” não será o suficiente.

A única coisa que faz algum sentido é o descontentamento, a tristeza, a impotência, o cansaço…de forma forte e violenta que mal se dá conta de administrar. Está aí, mas uma “falha” administrar. Quando se é jovem  se pensa que pode segurar o mundo com as mãos, que pode ter o controle de tudo a sua volta. Mas basta o tempo passar para outra realidade tomar frente da vida. Que ter o controle de tudo não só é impossível como algo que nunca poderá ser feito.

O importante é não desistir né pai. Fonte: Divulgação Google.

O importante é não desistir né pai.
Fonte: Divulgação Google.

Pois esse é o mistério e a graça da vida, não ter certeza do dia de amanhã. Planos são feitos, metas determinadas, mas nunca se sabe se realmente serão feitas ou conquistadas. “Pois a vida, é uma caixinha de surpresas”.

E nesse momento a surpresa maior é o cansaço, onde irá dar isso? Eu não sei, quem sabe? Talvez daqui algum tempo, pois nada nessa vida é eterno, e tudo tem o tempo certo para começar e terminar, mas infelizmente esse tempo, não é determinado pelos interessados.

Se você está lendo até aqui deve estar imaginando que esse texto trata-se apenas de uma queixa de alguém visivelmente frustrado com a vida. Mais, responda para si mesmo: “você nunca foi frustrado com nada em sua vida?” – se não é, meus parabéns você está em um seleto grupo de pessoas felizes e contentes que vivem na terra do não existe.

Porém, se por algum motivo você lembrou de alguma fase da vida em que se frustrou, em que ficou chateado consigo mesmo, com alguém ou sei lá, com a vida. É pra você que digo isso. Pra você entender que, não está sozinho, não será o primeiro e nem será o último. Assim como você chegou aqui outros virão e assim como você outros sairão dessa “zona de frustração existencial”. Basta querer.

Se conformar com uma situação desconfortável, achar que não tem solução e simplesmente não fazer nada, ou pior somente se queixar de que tudo acontece com você ou que as coisas vão de mal a pior, não resolve a situação. Só faz com que ela se complique ainda mais.

No momento meu caro, só lhe resta viver, seguir em frente, pois uma guerra não é ganha apenas com vitórias, é na batalha perdida que as maiores lições são aprendidas, e nelas fortalecidas as convicções e desejos. Não é chorando no seu quarto ou vivendo emburrado e tratando mal seus familiares e amigos que as coisas serão resolvidas. Aliás, pelo contrário, isso só irá fazer com que você se afaste dessas pessoas importantes da sua vida.

Então, antes de jogar a toalha, “tente outra vez”, não desista.

A companhia de teatro “Os Melhores do mundo” mostra bem como perseverança e não desistir nunca pode ser sim a melhor saída. Pois a vida, sempre será uma caixinha de surpresas:

 

 

 

 

 

por Hélio Santos
Destaques, Sociedade / setembro 04, 2016

O SEMESTRE

(A incrível arte de perder o rumo da vida em poucos meses)

Preludio: Sumindo novamente

No último post escrevi que estava conseguindo conciliar todas as esferas da minha vida a ponto até de conseguir escrever com frequência no blog. Pois bem, essa organização toda não durou muito e como diz um amigo meu “ a bicicletinha perdeu o freio bem na descida”. Mais de três meses desde a última publicação e muita coisa aconteceu e claro eu não consegui manter os planos de postar regularmente. Estou ao ponto de começar a rever as coisas que escrevo.  Esse primeiro semestre tem muita culpa nisso

O QUE TA ACONTESENO?

Minha ideia inicial meses atrás era fazer um post destinado ao primeiro semestre deste ano e postá-lo entre o final de maio começo de junho. Porém, como podem perceber não foi bem isso o que aconteceu. Todo esse primeiro semestre foi importante para mim, mas o mês de maio sempre tem um sabor  especial.  Não é um mês diferente somente pelas datas comemorativas que temos nesse mês como o dia do trabalho, dia das mães, dia da abolição da escravatura no Brasil, excecionalmente esse ano Corpus Christi, dia do enfermeiro, dia da Língua nacional, dia do Gari, dia das bandeiras, dia do estatístico, dia do apicultor e por último mais não menos importante meu aniversário é claro. E também dia em que faz um ano desde que dei esse novo rumo ao blog. Exatamente no dia do meu aniversário “inaugurei” o domínio urbanavida.com. Foi um dos dias que mais me deu felicidade e dor de barriga por ansiedade.

Queria colocar logo o blog “no mundo” e mostra-lo para todos. E para minha felicidade aquele post foi bem acessado.

Divulgação: Google

Divulgação: Google

“22 coisas que aprendi aos 22 anos” é um dos posts com mais visualizações desse 1 ano de novo blog. E em algum momento essa ansiedade, essa vontade de postar meio que se perdeu. Manter periodicidade nas postagens tem sido um desafio e uma frustração enorme. Em alguns momentos consigo em outros desapareço por completo do blog. São ações simples que podem melhorar isso mas não, faço questão de torna-las complicá-las. Acho que estou precisando reler o texto sobre procrastinação que escrevi anos atrás pra lembrar como é difícil essa vida e tentar sair dessa.

Acredito que um dos maiores desafios foi a faculdade sem dúvidas. Como mencionei no meu último post meses atrás, reiniciar essa vida acadêmica depois de um tempo parado iria ser difícil. Me concentrei tanto a faculdade que acabei esquecendo que ela por si só na verdade não foi o mais complicado, mas sim, conciliar tudo o que faço. Não só a faculdade, mas o trabalho, a socialização com meus amigos e família, escrever no blog claro, os dias que você não tem vontade de fazer nada a não ser deitar, como e dormir  (aaah saudades de fazer isso). Todas essas atividades exigem tempo, exigem uma programação melhor desse tempo e uma certa dedicação para que aconteçam da melhor forma possível, algo que eu falhei miseravelmente.

 

YOU HAVE FAILED THIS CITY

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Ao maior estilo Arqueiro Verde nos bons tempos “Eu falhei com essa cidade”. O principal intuito do blog era falar de coisas cotidianas, coisas da rotina dessa vida totalmente urbana que levamos, coisas que observo no dia a dia da cidade, mas que nesse semestre mal consegui fazer. Meu bloco de notas do celular está cheio de ideias que foram esquecidas e deixadas de lado ao longo desses seis meses (sim eu uso o bloco de notas apesar de muita gente nem saber para que tem isso no celular).

Não estou escrevendo isso apenas para me lamentar de como fui falho naquilo que queria fazer, mas uma forma de mostrar como as vezes fazemos mil planos mirabolantes e que na nossa cabeça vai super dar certo e no fim não temos o foco suficiente para que esses planos saem da nossa mente e se tornem realidade. E nesses momentos de frustrações as pessoas tendem a jogar a culpa em elementos externos. Na falta de tempo, que trabalham demais, estudam demais, imprevistos que acontecem, o que realmente pode acontecer. Mas, será que são sempre esses os vilões de nunca conseguirmos realizarmos determinados planos e atividades? Eu duvido muito. O fator interno com certeza é um dos principais motivos. E com certeza eu mesmo sou o meu maior problema para conseguir ter um desempenho melhor no blog.

É meio louco e estranho achar e pior, publicar isso na internet, de que eu sou meu maior problema. Eu tenho certeza que Freud deve ter uma puta explicação lógica e de como a psiquê humana interfere nisso, mas, de forma mais clara estou cometendo auto sabotagem.

 

VOCÊ É SEU MAIOR PROBLEMA

Pois é meus nobres e estimados colegas, aquele dia que você acorda numa puta preguiça mas tem uma carreta de exercícios para entregar ao professor de matemática (graças a Deus eu escolhi humanas), ou aquele texto de 6 páginas que deve resumir de um outro texto de 50 páginas. É nesse dia, justo nesse dia que você deveria trabalhar mais, se dedicar mais, ter um empenho diferente dos outros dias, é justo nesse, que você menos faz o que deveria fazer.

Não digo isso só para tarefas da escola ou faculdade, desde as mais simples, de levar o lixo pra fora até praticar

Divulgação: Google

Divulgação: Google

exercícios. Coisas que sabemos ser essências ou terem sua importância mas que por fim  acabamos atrasando, deixamos de lado ou o que mais acontece: deixando pra última hora. É uma situação difícil do ponto que, a partir do momento em que você toma ciência que  vive no“mundinho de preguiça” sair dele é ainda mais complicado. Mas não impossível. A auto sabotagem faz isso, nos mantém, acomodados e inertes em uma situação, “só” nos cabe sair dela, mudar ela, a nossa própria vontade.

“Como?”  – Você acomodado como deve ter se perguntado. Se eu soubesse a resposta dessa crise existencial não estava aqui escrevendo esse texto e refletindo comigo mesmo sobre o assunto. Não existe fórmula mágica. Existe força de vontade e vontade de fazer diferente de ver a vida indo pra frente tomando novos rumos, alcançando novos horizontes e não estagnada. Nos queixando e reclamando de como a vida é injusta.

Ninguém consegue essa mudança da noite para o dia. Beethoven não compôs a nona sinfonia de uma pra outra. Bejamin Franklin não inventou a eletricidade de uma hora pra outra. MC Biel não acabou com a “carreira” dele de uma hora pra outra, não pera…

O que quero dizer meus amigos, para reflexão de todos nós, e no momento reflexão minha, é que com as pequenas mudanças, as pequenas atitudes diferentes que tomamos são passos importantes para acabar com essa auto sabotagem e mania de colocar a culpa em tudo que nos cega.

A disposição é sua e somente sua. E terminando aqui parafraseando Emicida em um grau mais profundo de reflexão “você é o maior representante do seu sonho na face da Terra. Se isso não fazer você se mover chapa, eu não sei o que vai”.

 

por Hélio Santos
Destaques, Sociedade / Março 27, 2016

Super-herói do dia a dia: A jornada dupla de trabalhar e estudar

(De dia atender clientes e ser eficiente no trabalho, de noite ser entusiasta e disposto a aprender mais. Nem o Demolidor iria aguentar tanto pressão assim sem pedir arrego de vez em quando).

tumblr_m3g5bgR48O1qj1doho1_500

 

 

• PRELUDIO: O SUMIÇO DAS REDES SOCIAIS

Primeiro de tudo é que sim, eu sumi novamente. Para a minha tristeza e do meu blog, eu estou longe das redes sociais como um todo há alguns meses. Não porque simplesmente me neguei a fazer parte de toda essa conexão online que vivemos, mas sim porque estou sem tempo mesmo. Voltando a essa rotina de trabalho e faculdade estou tendo uma dificuldade para organizar de forma eficiente. Mesmo fazendo um planejamento antes percebi que não foi suficiente e acabei me afastando do meu blog. Por fim, depois de quase dois meses de aula acho que agora estou de fato conseguindo engrenar as coisas de forma eficiente, tanto é que neste momento até post novo saiu. Contarei mais sobre essa vida louca de universitário e trabalhador brasileiro nas próximas linhas.

• O BIXO NA FLORESTA CHAMADA FACULDADE

Seus olhos se enchem de emoção, o sorriso bobo estampado no rosto, você não faz a menor ideia de onde é a sua sala, fica perdido olhando para as pessoas e portas com cara de tonto e começa a perdir informações de aonde é o banheiro pelo amor de Deus? Se você já fez alguma dessas coisas parabéns, você é o mais recente calouro de alguma universidade.

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Apesar dessa experiência não ser novidade para mim, entrar novamente em uma faculdade foi algo totalmente novo e desafiador. Aprender sobre um outro curso, uma outra perspectiva, a chance de conhecer pessoas novas me anima muito e só isso me fez ficar com cara de tonto no primeiro dia de aula. Logo nos primeiros dias de aula de toda aquela apresentação formal da faculdade e do curso aos calouros finalmente iniciam-se as aulas, e logo no primeiro dia algo dito me chamou a atenção e que me fez perceber algo na minha personalidade que não havia reparado antes: eu gosto de estar em uma sala de aula. Por mais estranho que algumas pessoas possam achar, ou coisas como: “O que? Não vejo a hora de terminar meu curso, não aguento mais sala de aula! ” – Eu, no entanto, percebi que gosto dessa experiência. Após ouvir de uma das minhas várias professoras que terei ao longo de semestre dizer algo semelhante, que a vivencia em sala de aula é realmente um ambiente enriquecedor e faz com que você possa ter e ver o desenvolvimento intelectual de diversas pessoas inclusive o seu é claro. E participar desse crescimento pessoal e coletivo é uma das coisas mais incríveis que podemos ver.

Após me livrar do trote universitário que na verdade nada mais foi do que um trote mesmo pois não existiu, a familiarização com a faculdade e de como as coisas funcionam foi se tornando natural e quase que imperceptível. Quando se dá conta você já está chamando o segurança de brother e dando boa noite e conversando até com os professores que nem tem aula ainda.

• FORMANDO AS PANELINHAS 

Ah, esse conglomerado de seres humanos em aprendizado intelectual nesses ambientes acadêmicos é normalmente incrível. Adoro (sqn) as panelinhas. Apesar de saber que elas existem desde os primórdios do mundo (ou você acha que todo mundo da Galileia era fechadão com nosso Senhor Jesus?), eu confesso que hoje não sou muito fã de panelas. Elas só têm como objetivo dividir e trazer discórdiaporém, elas são naturalmente formadas ainda mais em uma faculdade. Aprendi recentemente que sempre iremos procurar pessoas semelhantes a nós para estarmos próximos, dessa forma a formação de panela é inevitável, por sorte consegui estar em uma sala onde todo mundo acabou criando uma empatia muito grande com todos. Mas assim como no Big Brother, depois do primeiro paredão as coisas começam a mudar de figura e começamos a perceber quem é quem e ai sim, as panelas começam a ser utilizadas e o óleo de fritar passa a fazer parte dessa culinária acadêmica. É inevitável.

Apesar disso, os atritos são fundamentais para esse crescimento acadêmico, pois com certeza contribui para o que virá após a formatura. Como é de conhecimento de todos, não vamos trabalhar com aquele BFF para sempre, ainda mais se tiver apenas uma vaga na seleção de emprego naquela multinacional que ambos querem entrar. Saber lidar com essas situações com certeza é chave entre ter um bom networking ou ser apenas aquele cara chato da faculdade que a galera só faz trabalho em grupo porque o professor (a) obrigou.

 

•MESTRE LINGUIÇ…DIGO, QUERIDO PROFESSOR!

Ah, amados mestres, como vossa participação nesse desafio de ser universitário é crucial. Sempre fiquei fascinado de como exercer a profissão deDivulgação:Google professor é algo muito desafiador ao mesmo tempo que imagino eu deva ser recompensador. Todas aquelas ideias lançadas, aquelas perguntas que te fazem ficar com cara de paisagem para que no fim, você finalmente entenda os caminhos que ele (a) quis te conduzir. E nessas poucas semanas de aula já percebo como meus professores são pessoas que tem muito a acrescentar e a desenvolver no conhecimento de todos nós alunos.

Claro que há sempre aquele mais chatinho, que quer tudo certinho, arrumadinho do jeitinho dele. O falastrão que se perde no meio da explicação e ficamos mais em uma sala de bate-papo do que em uma sala de aula, o que não é ruim pois a troca de informações e de conhecimento acontece da mesma forma. Basta filtrá-las de forma adequada. Há também aqueles em que cada aula é uma surpresa e um misto de ódio e de alegria se misturam dentro de você, e aqueles claro que você admira de uma forma que não tem nem palavras direito pra explicar, apenas dizer: “esse (a)  professor (a) é Foda!”.

 

• MAS E AGORA, QUEM PODERÁ ME DEFENDER?

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Nem Chapolin se arrisca a dizer isso, você mesmo é que deve. Até porque você não precisa de super herói para se defender, você já é um super herói. O jovem que hoje, sai de sua casa as 05:00, 06:00 da manhã do conforto de sua casa, enfrenta um dia estressante de trabalho, de refeições rápidas e muitas vezes não saudáveis, que enfrenta um transito desgastante todos os dias, e ainda tem disposição para estar  ate as 22:00 hrs dentro de uma sala de aula com vontade de aprender, é um puta super-herói. Um super-herói dos seus sonhos, pois você salva esses sonhos toda vez que entra na sala de aula e busca por conhecimento, um super-herói que tem como foco mudar não só a sua vida, mas de todos aqueles que estão a sua volta vendo seu esforço.

Se você se identifica assim, com certeza é puta super-herói. Nem o Batman conseguiria tanto. Se bem que com o dinheiro do Bruce Wayne as coisas poderiam ser mais fáceis não é mesmo? Essa semana meu pai me enviou o trecho de uma música que já conhecia, mas que hoje faz ainda mais sentido na minha vida. E coroa, obrigado por isso, me fez lembrar lições que você mesmo me ensinou para sobreviver nessa vida e que com certeza levarei sempre comigo. A você, meu muito obrigado por isso e por tudo.

“Porque o sol não espera, o tempo não cansa. Ontem você pediu, você pediu, mas uma oportunidade, mas uma chance. Como Deus é bom né não nego? (…) a preguiça é inimiga da vitória, o fraco não tem espaço e o covarde morre sem tentar. Não vou te enganar o bagulho ta doido e ninguém confia em ninguém, nem você, os inimigos vem de graça, é a selva de pedra, ela esmaga os humildes demais. Você é do tamanho do seu sonho, faz o certo, faz a sua (…), cabeça erguida olhar sincero, tá com medo do que? Nunca foi fácil, junta seus pedaços e sobe para a arena, mas lembrem-se, aconteça o que aconteça nada como um dia após o outro dia.” – Mano brown como sempre poeta no rap 

Esse trecho da música dos Racionais Mc’s já está se tornando um verdadeiro Hino para mim, o rap me traz esse sentimento de que por mais que as coisas são difíceis, sempre existe uma forma de se resolver e alcançar seus objetivos. Isso é só o começo, os desafios só estão chegando. Isso parece muito frase de para-choque caminhão e clichê demais, porém, não há forma melhor de mostrar de como as coisas realmente estão sendo ultimamente e irão ser. Apesar de toda essa correria, a quantidade de informações que eu recebo diariamente que fazem meu cérebro sacudir dentro do crânio, mesmo essa vida de super-herói urbano sendo uma vida perigosa e cheia de inimigos mortais, como o sono, preguiça, indisposição, estresse, trabalhos sem fim que os professores passam, eu estou feliz. Feliz por poder ter a oportunidade de aprender tanto, de conhecer tanto, de me relacionar com pessoas que nunca pensei em ter contato.

Ser um super-herói não é definitivamente uma profissão fácil, mas agora entendo porque eles continuam lutando e lutando, pois acreditam em um futuro melhor, uma vida melhor. Não só para eles mas para todas as pessoas que os cercam e até mesmo aquela que estão longe. Tio Ben não poderia ter acertado mais quando disse que com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

 

Obs.: Pra quem não conhece, segue abaixo a música “Sou + você – Racionais Mc’s” que citei no texto.

 

 

por Hélio Santos
Destaques / Janeiro 30, 2016

Continuando…

Quatro meses. Esse foi o tempo desde o meu último post no blog. Quatro meses e alguns dias, “o tempo passou rápido”, normalmente eu diria, mas olhando de forma mais…analítica eu acho que o tempo passou da forma que ele passa, naturalmente, com a vida corrida que vivemos, muitas vezes não percebemos. Vou entrando naquele momento de justificativa sobre o porquê do tempo sem postagens, e que as desculpas variam entre: sem tempo, procrastinação e falta de vontade de escrever.

Todas essas opções clichês, (que já usei inclusive), não deixam de ser verdade. Aconteceu algo semelhante comigo em 2014, ano em que eu comecei a me empenhar mais em escrever, comecei o blog em março/abril daquele ano. Mantive postagens frequentes por alguns meses, mas logo depois fiquei meses sem escrever nada, retornando somente no final do ano. Então, esse já é um terreno conhecido por mim, o da procrastinação. Mas dessa vez, foi diferente. (pelo menos eu tento ver dessa forma) E explico por que. Diferente de 2014, mesmo não postando regulamente eu continuei escrevendo algumas coisas, tendo ideias mirabolantes para melhorar o conteúdo como faço praticamente sempre. Mas dentre essas ideias, me ocorreu uma que sempre descartei de imediato muito pela falta de conhecimento e por que eu sempre achei que era alto suficiente para fazer aquilo e não ia precisar da ajuda de ninguém.

 

** CONTRATANDO UM DESIGNER GRAFICO **

Isso mesmo, eu pensei na fatídica ideia de contratar um designer para fazer algo que eu já havia tentando por meses, que era criar uma identidade visual para o blog. Pelo conhecimento quase zero que eu tinha/tenho sobre o assunto, eu até que consegui ser criativo, esforçado, mas é claro que não era o suficiente para alavancar as coisas da forma que eu esperava. E isso começou a ficar cada vez mais latente durante 2015 quando as visitas no blog aumentaram um pouco e eu comecei a receber feedback de amigos mais próximos que acessavam o blog.

Fonte: Divulgação Google.

Fonte: Divulgação Google.

Coisas aparentemente básicas, mas que comecei a perceber que fariam a diferença se eu queria mesmo ter mais acessos. Coisas como “não tem como comentar direto do face”, “logar no blog demora demais pra comentar”, “sei lá, é legal seus textos mas não têm nada que chama atenção quando a gente entra” – essa última foi aquela facada no coração que me deixou mais triste. Não foi exatamente com essas palavras que a pessoa falou mas para ficar de uma maneira mais clara eu entendi assim e sei que foi isso o que ela queria dizer. Foi a partir daí que a minha busca incessante por criar uma identidade visual ficou mais forte.

Eu já tinha lido sobre isso, mas nunca tinha dado tanta atenção, ou achava que só faria isso quando conseguisse mais acessos no blog, porque assim teria como certo que o esforço que fiz teria recompensa com os acessos. Mas como queria mais acessos se não conseguia atingir o público que gostaria? E como fazer isso sem se arriscar? Foi aí que acabei me lançando em uma coisa que não sabia se teria um retorno positivo, mas que na teoria me traria resultados ótimos.

 

** ARRISCAR OU NÃO ARRISCAR? **

Fiquei com uma dúvida tremenda se estava fazendo a coisa certa, não só pelo fato de que eu iria dispor de um dinheiro que iria demorar meses para recuperar, mas também pela frustração que isso poderia me gerar caso não desse certo. Ficar frustrado e sem dinheiro são duas coisas que definitivamente eu odeio. Mas por fim, eu vi que poderia ser uma boa ideia e poderia me favorecer bastante, mesmo não tendo certeza de nada. Acho que é assim que grandes empresários se sentem quando se arriscam em algo que acreditam, com a diferença que eles perdem milhões de reais/dólares se fracassarem ou fecham a empresa de vez e eu iria apenas ficar puto e ficar sem grana, nada que eu já não tenha passado.

Esse mundo de design é muito interessante, um tanto quanto complexo eu diria, pois, a língua é bem técnica, e para um leigo como eu entender é horrível, mas ao mesmo tempo percebi que deve ser prazeroso. Ver algo que você criou do zero tomando forma até ficar pronto, deve ser uma sensação muito boa.

Depois de muita pesquisa, ver um milhão de portfólios, enviar e receber e-mails de orçamento, me assustar com alguns valores, outros achar que eram muito barato para ser verdade, deveria ter algum defeito e tinha. Eram designs copiados de outros designers. Por fim, eu encontrei um que eu achei super bacana, um preço acessível e que se enquadrava naquilo que eu imaginava, naquilo que esperava para o blog. A salvadora da pátria, a luz no fim do túnel da Suzana Carvalho.

Após algumas trocas de e-mail e tudo acertado, o projeto teve início. E todo o seu processo foi bem tranquilo. Claro, tirando a minha ansiedade de ver como tudo iria ficar, e bem, agora vocês já viram como está. Me lembro que logo depois que vi o layout parcialmente pronto comentei com a Suzi como ela conseguiu entrar dentro dessa minha mente louca e capitar bem o que eu queria. Pois é uma grande dificuldade nessa parte do trabalho do designer, entender o que o cliente pede e conseguir transportar isso para a página. E ela conseguiu de uma maneira foda. Suzi, se você estiver lendo isso, vou ter que agradecer você pro resto da minha vida.

 

** E AGORA JOSÉ?**

Pesquisa feita, design escolhido e feito, tudo certo, tudo muito bom, mas e agora? Posto algo novo apenas para que eu fique “olha meu layout novo Brasil”. Bem, é isso mesmo.  Nesse ponto da super mega, blaster, foda, ulta-mega, power mudança que eu planejei para o blog não tem muito mais o que fazer a não ser mostrar para o mundo. E só pensar “seja o que Deus quiser”.

Fonte: Divulgação Google

Fonte: Divulgação Google

Aquele momento que eu sempre imaginei que ficaria com frio na barriga, e esse mesmo frio que eu evite por um bom tempo por achar que iria fracassar. E parando para pensar agora, foi um pensando burro, eu me dei como fracassado antes mesmo de tentar tudo isso. Antes mesmo de arriscar se daria certo ou não. Bom, obrigado Deus por ter me feito cabeça dura e insistente, pois se eu não fosse assim, não teria continuado com isso.

Muito bem…aqui está a ideia mirabolante, que dará início a mais ideias mirabolantes que já rondam a minha cabeça louca e mirabolante. Espero que gostem, ou não gostem se for isso o que sentirem. Que comentem, mesmo que seja um “Mano, para com isso, ta feio” ou um “parabéns, muito legal”. Ambos os comentários vão me dar uma perspectiva da situação.

Ah! Está pensando em fazer um layout novo e foda para o seu blog também? Acesse o site da Suzi, com certeza você vai encontrar o que precisa:

Corseletiva

Obs: O merchan, é gratuito mesmo.

 

Até a próxima urbanos. 😉

por Hélio Santos
Destaques, Listas / setembro 04, 2015

10 coisas que só quem trabalha entende

Essa é para você trabalhados brasileiro, que acorda às 04:00, 05:00 ou 06:00 da manhã, pra mais um dia de batalha. Cheio de entusiamo, preparado para enfrentar os mais diversos desafios profissionais com muita empolgação e animo.

Isso tudo seria muito lindo se fosse verdade. Em alguns casos até pode ser, mais isso não se aplica a maioria da população de trabalhadores do país. Inspirado nisso, saiu uma lista dessa caxola pensante sobre coisas que só quem trabalha faz e passa por isso. Acredito que em pelo menos uma dessas você vai se identificar.

 

1 – VOCÊ ACORDA RECLAMANDO

Sim, você acorda de mal humor, reclamando da vida e de todos. Isso não é algo que acontece todo o santo dia (em alguns casos sim) mas vez ou outra reclamar da vida já faz parte logo quando acorda.

2 – ÔNIBUS CHEIO

A que beleza acordar cedo sair atrasado de casa, correr até o ponto de ônibus e quando embarcar ver aquele mundarel de gente brigando por um misero espaço dentro daquela lata de sardinha gigante que é o transporte coletivo no nosso país.

3 – CHEGAR ATRASADO

Com esse trânsito maravilhoso que só melhora no nosso país chegar atrasado nos compromissos já se tornou algo comum. Ainda mais nós brasileiros que já temos a fama de não sermos pontuais. O ingleses piram.

4 – A TURMA DA SEXTA-FEIRA

Sempre tem no trabalho aquela turminha que vive falando “Hoje poderia ser sexta” – “Falta muito pra sexta?” – “Quero a sexta-feira logo”. E quando a bendita da sexta-feira chega a pessoa fala “Queria ter dinheiro pra curtir a sexta”. O que dizer? WTF

5 – HAPPY HOUR

Depois que você está em um ambiente profissional e vive aquela rotina estressante de trabalho, aquela semana cheia de tarefas compromissos, faculdade, filhos, roupa pra lavar, comida pra fazer, casa pra limpar. Ao ouvir as palavras Happy hour o seu dia passa a ser lindo e sua frequência nesses tipos de eventos profissionais se torna cada vez mais comum.

6 – AMIGA! #SQN

Ahhh fofoquinha, leve e trás, fifi. Afinal quem nunca não é mesmo? Deu aquela fofocada da vida alheia, falou mal do colega de trabalho e logo estava rindo junto dele. É um dos hábitos mais comuns e mais feios dessa vida profissional.

7 – STRESS

A doença do século 21. O motivo de muita gente procurar psicanalista e tomar calmante nessa vida. Tem dias de que um simples “bom dia” já irrita e nessas horas ter discenirmento de ser uma pessoa educada quando na verdade você quer voar no pescoço do coleguinha é uma tarefa muito dificil. (principalmente se você for mulher).

8 – DIA 5. YES!

Isso mesmo, sempre quando esse dia se aproxima as pessoas ficam sorridentes, de bom humor, pagam rodadas de choopp a mais no happy hour. É uma beleza. Pena que só dura esse dia e nunca mais.

9 – FINAL DE MÊS

Sempre um momento dificil na vida do trabalhador. Você não tem dinheiro pra quase nada, conta as moedinhas do bolso pra comprar um pãozinho na padoca e sempre nesse perído nefasto tem aqueles desejos do nada de comer coisas que antes não tinha. E sempre aparece um milhão de amigos”legais” que te chamam para um milhão de festas justo quando você não tem dinheiro.  É muito bom isso.

10 – AMIGUINHO

Inevitavelmente passamos a maior parte do dia fora de casa. Seja no escritório, no hospital, na rua, no batalhão, e convivemos com várias pessoas de diferentes, personalidades, ideias, religiões e tudo. E naturalmente acabamos selecionando nossa convivência e ficando mais próximo de certas pessoas, criando assim belas amizades.

tumblr_lydq4lq7JT1qjqr48o2_500

 

Acho que faltou alguma? Sim? Manda ai nos comentários e vamos aumentar essa lista 🙂

por Hélio Santos
Melhores do mês / setembro 01, 2015

Melhores do mês – Agosto

E chegou o fim do mês…aquele momento em que você repensa aonde foi que você gastou seu salário todo que não o viu o mês todo. Fica contando os dias para o proxímo pagamento chegar. Vive pedindo R$ 20,00 emprestado pra sua mãe e diz que depois paga (coitada, nunca mais irá ver a cor desse dinheiro).

Para você, que, não vai conseguir ir naquela balada foda que sempre acontece justo quando está duro e fica em casa sábado a noite assistindo Zorra Total, vai ver um filme no telecine! E fazendo isso saiu mais uma lista dos melhores do mês de Agosto. Confesso que, esse mês eu não assisti ou vi muita coisa, na verdade, Agosto foi um mês meio que do “porre” pra mim. Não quis saber de nada, mas mesmo assim, foi bom porque voltei com o Blog e estou postando mais frequentemente (o que já deveria ser algo normal).

Mas enfim, vamos aos “queridinhos” de Agosto:

 

**FILMES**

Broken City

Intrigas, poder, vidas - Broken City parecendo novela da Globo (Fonte: divulgação Google)

 

O filme estrelado pelos atores Mark Wahlberg e Russel Crowe, mostra uma trama bem bacana para quem é interessado em politica e tudo o que acontece nos seus bastidores, todos os segredos que queremos saber mas que poucas pessoas sabem e esses segredos como mostrado no filme, podem custar muito caro.

Lançado em Janeiro de 2013 o filme mostra como as histórias de Nicholas Hostetler (Russel Crowe) e Billy Taggart se cruzam. Perto das eleições para prefeito de Nova York, Nicholas Hostetler que é o prefeito da cidade, é um sujeito arrogante e ambicioso, que se prepara para a reeleição dentro de alguns dias. Ele contrata Billy Taggart (Mark Wahlberg), um ex-policial que caiu em desgraça na corporação, para investigar  a esposa de Nicholas (Catherine Zeta-Jones), que ele suspeita que esteja o traindo.

A trama do filme é bem interessante, cheia de segredos, planos grandiosos, articulações politicas que vão sendo desvendadas pelo personagem de Wahlberg. Em uma cidade que se mostra corrupta existem sim as pessoas honestas que acabaram por se sujeitar “a sujar suas mãos” para livrar a cidade de falsos ídolos como o prefeito Nicholas Hostetler. Mas algo que me chamou a atenção diferente da maioria dos filmes o “mocinho” tem um fim um tanto quanto diferente, ou pelo menos pra mim que estou acostumado a ver aquele mesmo final clichê foi legal ter uma surpresa no fim.

Apesar dos críticos considerarem o filme regular para ruim, eu achei um bom filme. Até porque os caras supostamente entendem de filmes, e a opinião deles deve valer alguma coisa. Nada muito glorioso como as produções de Hollywood costumam ser, mas possui uma boa trama, uma história legal de ser contada e que trás uma mensagem interessante  nos mostrando um outro lado da politica que normalmente poucos sabem e podem contar a respeito. Você que precisa ver um filme para dissertar sobre aquela aula de ética na faculdade de Direito é uma boa pedida, e pra você que é apenas um amante de bons filmes esse filme também é pra você.

Broken City para mim cumpri a missão e entrega um filme bom e interessante para quem o assisti. Dei uma resumida na minha resenha sobre o filme. Quem quiser ver ela inteira clique aqui.

 

Star Trek – Into darkness (Além da escuridão)

david_arrais_star_trek_alem_da_escuridao_01.2013.06.10-1024x768

“O espaço, a fronteira final… Estas são as viagens da nave estelar Enterprise, em sua missão de cinco anos para a exploração de novos mundos, para pesquisar novas vidas, novas civilizações, audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve!”

E assim a nave Enterprise parte em sua jornada desvabrando o espaço em busca de novas civilações. É uma das frases mais icônicas do filme ditas pelo saudoso Leonard Nimoy e que ficou eternizada por décadas. Eu não sou da geração em o seriado Jornada das estrelas se consagrou, mas aprendi a gostar desse mundo espacial criado para os geeks e aficionados por ciência. Eu sempre gostei de ver os astros, estrelas, saber sobre o espaço e como as coisas poderiam ser fora da terra. Lembro que uma vez, passando por entre os canais da televisão avistei um homem de olhar sério, orelhas pontudas e achei aquilo tudo engraçado e me interessou. Mal sabia eu que assistia uma reprise do seriado e daquele momento nasceu a curiosidade sobre os mistérios do universo e o que ele nos mostra.

Ao assistir o primeiro filme desse novo reboot de Star Trek fiquei pensando “Caramba, eles tem que fazer uma continuação” e anos depois meu desejo foi atendido. E nesse mês esse filme foi reprisado várias vezes pela Universal Channel e eu como fã de carteirinha assisti quase todas as reprises. Com um filme simplesmente FODA, Star Trek – Além da Escuridão é uma ótima continuação do primeiro filme estrelado por Cris Pine e Zachary Quinto, que diga-se de passagem está impecável como o Vulcano mais famoso e querido de todos: Spock. O filme se inicia com a nava da USS Enterprise estava estudando uma cultura primitiva do planeta Nibiru, quando eles descobrem que um vulcão em erupção pode destruir todo o planeta. Dada esse situação o capitão Kirk (Cris Pine) decide detê-lo, mas na ação, ele desrespeita a primeira diretriz da Frota Estelar para salvar Spock. Por causa disso, é julgado e perde o comando da nave para o Almirante Christopher Pike que, contudo, consegue colocá-lo como seu Imediato. Logo em seguida ficam sabendo da ameaça terrorista representada pelo integrante renegado da frota John Harrison, que após realizar um atentado em Londres, foge para o planeta natal dos Klingon, Kronos. A Enterprise parte para lá para capturar o bandido, sabendo que essa investida poderá representar a guerra contra aquele povo guerreiro. Além disso, Harrison se revelará como um dos maiores e mais inteligentes inimigos que Enterprise já enfrentou e toda a liderança de Kirk será colocada a prova.

Para quem é um viciado em Stark Trek ou pelo menos conhece um pouco da história como eu com certeza irá gostar e ficar contente com o resultado entregue. Todo o elenco favorece e muito para que o filme tenho sido o sucesso que foi, a trama desenvolvida pelos roteiristas e toda a tensão de “temos que salvar a humanidade” funciona muito bem e entrega um excelente filme. Tanto nas explicações cientificas para os mais nerds como visualmente, mostrando uma terra futurista e plantas jamais vistos pelo ser humano.

Resumindo, Star Trek é uma ótima pedida para você nerd de plantão e amante de ciência.

**FAMILIA**

Dia dos Pais

Familia, com certeza um dos bens mais valiosos dessa vida.

Familia, com certeza um dos bens mais valiosos dessa vida.

Com certeza, uma data que me alegra, estar na companhia da familia como eu já disse em outros post tem sido algo que tem me feito muito bem ultimamente. E nesse dia dos pais não foi diferente. Apesar do “meu velho” não ter passado o dia todo com a gente, o tempo juntos foi bom como sempre.

É meio estranho abordar esse assunto, pois todos nós sabemos da importância da familia, de estarmos reunidos sempre que possível e do bem que isso nos traz. Mas dai falar sobre isso, dizer como se sente, é algo que muitas vezes não é comum. Acredito que são coisas que todos sabemos, mas raramente falamos. O que julgamos errado porque sentimentos como este devem sempre ser falados e ditos quando possível.

E me pergunto, então, o que nos faz se tão “travados” assim? Timidez? Medo? Vergonha?

Acredito que uma mistura de tudo isso e além, a comodidade. É muito fácil e simples termos ali, sempre a disposição, o pai, a mãe sempre dispostos a ajudar no que for preciso, pois nos acostumamos com isso é natural da vida os pais estarem ali, para nos apoiar em qualquer situação. Tão normal, que na maioria das vezes esquecemos simplesmente de agradecer. De reparar em todo o sacrifício que é feito para o bem de nós filhos. Em algumas vezes esse reconhecimento é feito sim, mas na maior parte dos casos sabemos que não. Uma das “lições” que venho tendo nos últimos meses é dar valor nesse pequenos gestos, estar presente nesses dias comemorativos e comemorar. A familia que tenho, as pessoas que me amam e se importa comigo, para que assim eu possa retribuir da mesma forma todo o carinho que é me passado.

 

**RELIGIÃO**

Confissão do Crisma

Padre e jovem no momento da confissão (fonte: divulgação google)

Padre e jovem no momento da confissão (fonte: divulgação google)

A confissão, reconciliação, sacramento da penitência ou sacramento do perdão é um sacramento que envolve a remissão de pecados perante um padre (presbítero) ou bispo que neste momento atua em nome de Cristo, e o recebimento do perdão divino das faltas confessadas e de uma penitência (reparação de danos causados pelo pecado).  Esse é um pouco do sacramento da confissão, ato de profunda reflexão interna para os católicos.

E para quem não sabe, sim eu sou católico. E como tal, a confissão faz parte dessa vida católica. Confesso que já havia algum tempo que não me confessava  e estava me sentindo mal por isso. Mas, eis que surgiu a oportunidade, a convite de um amigo fui ajudá-lo na preparação de jovens crismandos para a sua confissão semanas antes de receberem seu sacramento. Como no começo dessa turma eu fazia parte da equipe dos catequistas não fui nenhum bicho de sete cabeças, mas mesmo assim não deixou de ser cansativo.

Apesar disso foi um dia de reflexão, o que um retiro para a confissão pede. E acredito que a maior parte daqueles jovens conseguiu atingir esse objetivo. É  engraçado e ao mesmo tempo pois fiz parte do começo daquela turma, e ver a evolução deles como cristãos, como pessoas conscientes da importância de Deus em nossas vidas, é algo realmente gratificante. Acho que é uma sensação parecida que um professor tem ao ver que seu aluno aprendeu a lição exatamente como ele ensinou. Evangelizar têm dessas coisas e com certeza fico feliz por ter feito parte disso.

 

Fontes:

http://www.catolicoorante.com.br

http://quemdisse.com.br

https://pt.wikipedia.org

 

 

por Hélio Santos
Destaques, Listas / agosto 27, 2015

11 músicas para acordar com bom humor

Essa é pra você que costuma acordar de mal humor, reclamando da vida de mal com tudo e com todos. Seja mais feliz, seja mais calmo e acorde de bom humor.
Se isso é um desafio e tanto, temos aqui 11 sugestões que podem alegrar o começo do seu dia, e então, ao invés de chegar no escritório do trabalho e receber aquele costumeiro “bom dia” e responder: “Só se for pra você”, ao invés disso, você possa expressar um belo bom dia com um sorriso na boca.

Esse artigo é inspirado no texto publicado no site Revista.cifras.com.br, algumas das músicas foram retiradas de lá, e outras acrescentadas por mim, onde criei a minha própria lista das melhores músicas para acordar com bom humor. Que ela possa te inspirar a criar sua própria lista. Vamos as músicas:

 

 

Para ver a matéria em que esse post foi inspirado, clique aqui.

 

por Hélio Santos
Resenha / agosto 20, 2015

Resenha: Broken City (Filme)

O filme estrelado pelos atores Mark Wahlberg e Russel Crowe, mostra uma trama bem bacana para quem é interessado em politica e tudo o que acontece nos seus bastidores, todos os segredos que queremos saber mas que poucas pessoas sabem e esses segredos como mostrado no filme, podem custar muito caro.

Lançado em Janeiro de 2013 o filme mostra como as histórias de Nicholas Hostetler (Russel Crowe) e Billy Taggart se cruzam. Perto das eleições para prefeito de Nova York, Nicholas Hostetler que é o prefeito da cidade, é um sujeito arrogante e ambicioso, que se prepara para a reeleição dentro de alguns dias. Ele contrata Billy Taggart (Mark Wahlberg), um ex-policial que caiu em desgraça na corporação, para investigar  a esposa de Nicholas (Catherine Zeta-Jones), que ele suspeita que esteja o traindo.

Vai trair o gladiador filha. Tá maluca?

Vai trair o gladiador filha. Tá maluca?

O político tem medo de que esta informação torne-se pública, sujando sua imagem e fazendo com que ele perca eleitores. Por mais que tenha antigas discordâncias com o prefeito, que foi um dos responsáveis por sua saída da polícia, precisando de dinheiro, cheio de clientes que não o pagam pelos serviços prestados, Billy aceita a tarefa depois que toma conhecimento do valor que receberá pelo trabalho. Entretanto, logo ele descobre que Nicholas tem outras intenções por trás da investigação encomendada e que ele foi “a escolha perfeita” para a tarefa dada.

A trama do filme é bem interessante, cheia de segredos, planos grandiosos, articulações politicas que vão sendo desvendadas pelo personagem de Wahlberg. Em uma cidade que se mostra corrupta existem sim as pessoas honestas que acabaram por se sujeitar “a sujar suas mãos” para livrar a cidade de falsos ídolos como o prefeito Nicholas Hostetler. Mas algo que me chamou a atenção diferente da maioria dos filmes o “mocinho” tem um fim um tanto quanto diferente, ou pelo menos pra mim que estou acostumado a ver aquele mesmo final clichê foi legal ter uma surpresa no fim.

Russel Crowe está incrível como sempre, o ator que ficou consagrado pelo seu papel em “Gladiador” mostra que é sim um grande ator. A maneira como o personagem manipula as pessoas a sua volta, molda sua imagem pública como salvador da pátria, ganhando a confiança dos eleitores e se mostrando bastante direto e disposto a fazer tudo o que for possível para atingir seus objetivos. Bem como muitos políticos brasileiros fazem (nós sabemos bem). Um ponto

Nunca se deve confiar tantos nas pessoas. Ainda mais em um político...

Nunca se deve confiar tantos nas pessoas. Ainda mais em um político…

negativo foi a participação discreta de Catherine Zeta-Jones como Cathleen Hostetler esposa do prefeito. O personagem que supostamente é o motivo da reaproximação de Taggart e o prefeito não apareceu tanto no decorrer do filme. O que na minha opinião foi um leve erro, visto que o personagem teria possibilidade de ter mais importância na história, mas isso não atrapalha em nada a trama como um todo.

Apesar dos críticos considerarem o filme regular para ruim, eu achei um bom filme. Até porque os caras supostamente entendem de filmes, e a opinião deles deve valer alguma coisa. Nada muito glorioso como as produções de Hollywood costumam ser, mas possui uma boa trama, uma história legal de ser contada e que trás uma mensagem interessante  nos mostrando um outro lado da politica que normalmente poucos sabem e podem contar a respeito. Você que precisa ver um filme para dissertar sobre aquela aula de ética na faculdade de Direito é uma boa pedida, e pra você que é apenas um amante de bons filmes esse filme também é pra você.

Broken City para mim cumpri a missão e entrega um filme bom e interessante para quem o assisti. Quem assistiu comenta ai o que achou também.

Até a próxima!

 

por Hélio Santos
Sentimentos / agosto 10, 2015

Não faça promessas

Sim, para tristeza de todos eu voltei! \o/

Voltei com gás, disposição, entusiamo puro! Mentira, foi mais por falta do que fazer mesmo…

Mentira de novo, voltei porque deu saudades e vergonha na cara de escrever novamente no blog. Como vocês devem ter percebido (ou não), eu andei meio “sumido” aqui do blog, tipo… mais de dois meses. Mas como a fênix que renasce das cinzas, eis que eu renasci da minha preguiça e procrastinação e resolvi dar o ar de graça.

Até o fim da edição desse post eu não tinha a menor ideia do que escrever. Apenas achei que deveria ir escrevendo e ver depois o que ia sair. Não foi tudo no mesmo dia, foi um texto bem Frankenstein, cheio dos remendos, das pausas, de muita preguiça e falta de vontade. Foram bem uns 3 ou 4 dias pra terminar, talvez uma das postagens que mais demorei pra fazer. Não pelo conteúdo e sim pela disposição de fazê-lo.

Ultimamente ando muito assim, sem disposição pra certas coisas que tempos atrás eram prazerosas pra mim. Como malhar (isso é por falta de grana mesmo), desenhar, tocar violão, e escrever, que ultimamente era uma das coisas que me aliviavam do stress, nos últimos tempos, nem mesmo isso tem sido algo que faço. Pra falar a verdade não tenho feito nada. Nem mesmo o inglês que é algo que eu fiquei empolgado por muito tempo, ultimamente tem sido algo massante. Só trabalhando, ficando com a cabeça cheia, cansado, stressado, saio as vezes no fim de semana, encontro os meus amigos ou saio com minha família,  que tem sido uma das poucas coisas que tem sido bacana e que me sinto bem fazendo.

Maaaaas porém entretanto, todavia, as coisas que faço sozinho, coisas da minha rotina, ficaram de lado. Eu sei, puta papo depressivo do caramba. Mas, queria compartilhar isso, mesmo aqui, no lugar menos particular possível eu estou contando coisas particulares. Irônico não? Talvez, mas acredito que eu não seja o único a passar por essa situação, falar disso, pode ser bom para que outras pessoas possam falar também, refletir e tomar atitudes a respeito.

Preguiça acho que domina mesmo, acho que todo mundo tem aquele momento que não quer fazer nada, ou que as coisas que normalmente você faz ficam apenas…sem graça. E você só não tem vontade de fazer, ou está em busca de algo novo, que te traga um novo entusiasmo pra seguir em frente. Talvez descobrir é preciso, viver esses momentos ainda mais. Acho que estou começando a entender esse lance que escritores dizem sobre “bloqueio criativo”, ficar na ânsia de fazer algo novo, algo diferente e dai você se da conta que caiu na mesmice. E dai se pergunta: “Porque diabos eu estou fazendo isso?”. Ta aí uma pergunta que apenas cada um vai saber responder, pois os objetivos são diferentes, e o principio também.

Preguiçaaa

Preguiça…

O meu objetivo talvez esteja mudando, por isso essa preguiça, essa falta de vontade. Mas também acredito que só do fato de estar aqui, escrevendo esse texto sem pé nem cabeça escutando o cd Anacrônico da Pitty (que diga-se de passagem é na minha opinião um dos melhores dela) às 00:16 hrs de uma quinta-feira quente de inverno que mais parece verão, já dá indícios de que estou tentando sair dessa procrastinação toda sem sentido.

Hora de encerrar o texto fazendo promessas de mudanças onde tudo será novo lindo e belo! E com ideias utópicas de uma sociedade igualitária e justa para todos os cidadãos desse planta azul #sqn.

Hora de encerrar olhar a realidade, que nós nos desgastamos das coisas, das pessoas e isso é normal, não somos perfeitos, e isso acontece. O que muda nossa perpesctiva é a maneira que você lida com isso. Pegando essa “coisa” gasta e jogando fora, colando e remendando aqui e ali e depois tentando de novo, ou apenas seguindo em frente da melhor forma que puder.

Algo me diz que esse texto será alvo de várias releituras, que me fará relembrar de como é difícil se manter motivado, se manter disposto a fazer algo e não perder o “amor” por isso e simplesmente deixá-lo de lado. Escrever tem dessas, um amor que vai e volta. Um amor que as vezes te faz querer nem sair de casa e ficar agarradinho com ele pra todo o sempre, e por outras você não quer nem chegar perto pois está enjoado de ver aquela tela branca que deve ser preenchida com vária e várias palavras.

Já deveria ter terminado dois parágrafos atrás e estou no terceiro…Pitty obrigado pela companhia durante a composição do texto, seja sempre bem-vinda, me deixou mais focado, e que agora venham mais textos!

Puts…ainda consegui terminar com promessa de mudança (não perco essa mania…).

por Hélio Santos
Melhores do mês / Maio 30, 2015

Melhores do mês – Maio

Como já estamos no final de maio, a tristeza batendo porque você está duro sem um tostão no bolso já pensando no pagamento do próximo mês. Chega de avaliar como o mês passou rápido e geralmente isso significa que muita coisa foi feita. E realmente muita coisa aconteceu nesse mês. Trabalhando feito gente grande, mudanças na empresa, mudanças na vida, saindo mais, reavivando novas amizades, ficando mais velho, revendo velhos conceitos, ganhando presentes, dando presentes, comemorando e até chorando. Sim coisas ruins também acontecem. Se não, que graça teria não é mesmo? Não que eu seja masoquista, mas um pouco de “sofrência” não faz mal a ninguém, se você souber tirar alguma lição desses momentos eles podem te ajudar e muito. Vai depender de como se lida com isso.

Mas enfim, vamos falar disso outra hora, agora é momento dar pitacos. Eu já havia comentado no post anterior (que você pode pode ler aqui), sobre como as coisas no blog agora estão diferentes, e eu aqui cá pensando com meus pensamentos, pensei em colocar um rancking, os melhores do mês – como vão ficar chamados esses posts agora –  todo final de mês do que vi ao longo dele. Desde filmes, músicas, séries, livros, programas de TV, lugares para visitar, shows, etc.

Então, vamos aos melhores de Maio:

*SÉRIES*

Maio foi um mês muito impactante para as séries, e para os geeks com problemas cardíacos foi meio difícil de acompanhar. Foi Season Finale pra todos os lados, uma inclusive no dia do meu aniversário \o/. Atualmente estou acompanhando quatro séries: Arrow, Flash, Gotham e Supernatural, mas só consegui ver uma até agora (séries demais e pouco tempo livre pra acompanhar), provavelmente vou falar sobre elas no próximo melhores do mês.

Arrow (Final da Terceira Temporada)

3° Temporada de Arrow (Fonte: Divulgação Google)

3° Temporada de Arrow (Fonte: Divulgação Google)

Minha favorita, a primeira série que comecei a acompanhar e uma das primeiras  séries a ser produzida na telinha do universo DC. Baseada no personagem da DC  criado por Mort Weisinger e George Papp, Arrow conta a história de Oliver Queen,  playboy milionário que fica 05 anos em uma ilha deserta onde vive várias diversas  situações e volta para a sua cidade para cumprir uma promessa feita a seu pai anos  antes. Atualmente a série está indo para o quarta temporada, nesse final de temporada  Arrow meio que “deixou a desejar”.

Pois durante as duas primeiras temporadas a série manteve um ritmo bacana e  agradável que te deixava ligado a temporada toda, onde as coisas sempre culminavam  para uma grande batalha pela cidade de Starling City, o que não foi diferente nesse  temporada, porém o ritmo foi um pouco mais lento, a sensação que eu tive é de que as  histórias não foram trabalhadas afundo como nas temporadas anteriores.

Oliver enfrentou em uma batalha final seu inimigo central desta temporada, Ra’s Al  Gul, inimigo esse que fez o herói se afastar dos amigos se aliando ao “cabeça do  demônio” (como Ra’s também é conhecido) e realizando um treinamento para se tornar o sucessor de Ra’s, mas é claro que uma reviravolta se deu no episódio final que trará consequências negativas e positivas que já começaram a ser vistas no final da temporada.

Apesar desse final de temporada não ter sido tão épico como os dois anteriores, Arrow manteve as boas histórias e amarrando com perfeição todo as pontas da trama e deixando mais histórias e acontecimentos para a próxima temporada. Eu sou suspeito pra falar pois adoro a série e sempre gostei do arqueiro verde, mas depois da série gostei ainda mais do personagem, os roteiristas, produtores e é claro o ator Stephen Amell tem mostrado com maestria a evolução do personagem que começou como um playboy milionário, passou a justiceiro/vigilante e cada dia mais se tornando o herói que conhecemos nos quadrinhos. Aguardando ansiosamente para o inicio da quarta temporada!!!

*FILMES*

Maio e Abril forem meses de grandes estréias nos cinemas, filmes muito aguardando pelos fãs, e como não poderia de ser eu também fui conferir alguns! Assisti alguns mas vou colocar apenas o que eu mais gostei.

Fast and Furious 7 (Velozes e Furiosos 7)

Sétimo filme da franquia estreiou no mês passado mas só agora tive a chance de ver, e meu, que filme foda! Como sempre Velozes e Furiosos mostrou porque chegou aonde chegou, a franquia que já tem mais de 14 anos mostra histórias bem contadas, diversos personagens que juntos dão um ótimo ritmo ao filme. Com o reforço de Jason Statham como o vilão principal desse filme, a “familia” de Toretto enfrentou um inimigo bem insistente e ameaçador para eles. E como todos sabemos esse foi a despedida de Paul Walker as telonas, o ator que faleceu em Novembro de 2013 “voltou a vida” através de computação gráfica, cenas antigas que ele havia filmado mas que nunca tinham sido usadas, e um scanner 3D que foi feito tempos antes de sua morte, prática normal em filmes de ação onde se é colocado sobre o rosto do dublê o rosto do ator em cenas muito perigosas. Também com a ajuda de dois irmãos de Paul e dublês que participaram das filmagens que ele ainda não havia feito.

Eu fiquei apreensivo se iria conseguir perceber o efeito utilizado para mostrarem o rosto de Paul no corpo dos irmãos e dublês, mas em nenhum momento isso ficou claro pra mim. Parecia que o próprio Paul havia gravado o filme todo e isso foi demais! Mas legal mesmo foi o final dado ao personagem Brian O’Conner, esperava um final mais dramático, porém superou todas as minhas expectativas.

Vin Diesel que interpreta Domic Toretto, já deu declarações que um próximo filme da saga será rodado e com a inclusão de novos personagens que apareceram nesse sétimo filme (que provavelmente voltarão no próximo longa) grandes surpresas estão por vir. O que nos resta é aguardar e esperar por mais um grande sucesso da gangue dos rachas.

* MUSICAS*

Já disse aqui algumas vezes que a música faz parte da minha vida desde sempre, e eu aprendi a gostar de diferentes ritmos, e ultimamente “descobri” novos ritmos, cantores e bandas e meu…estou viciado! Escuto de tudo, mas me identifico mais com músicas que trazem uma letra mais reflexiva, ou que falam sobre amor (Avá! sério? Ninguém gosta desse tipo de música).

Alexandre Nero – Vendo amor (2011)

Sim, o cara não basta ser bom ator ainda canta. Já sabia que Nero cantava mas nunca tinha ouvido alguma música dele. Foi procurando uma música de outra banda que acabei encontrando uma música dele e decidi ouvi e viciei e gostei muito! Com algumas letras um pouco menos convencionais do que já tinha ouvido antes, uma harmonia nos acordes, com entonações as vezes mais calmas, outras mais animadas e alegres o Comendador no álbum “Vendo amor”, lançado em 2011 já é figurinha batida na minha playlist.

A banda mais bonita da cidade – A banda mais bonita da cidade (2011)

Não sei se os caras são egocêntricos, acredito que não, rs mas sim o nome da banda é “a banda mais bonita da cidade” mesmo. Os curitibanos formaram a banda em 2009 da vontade de reinterpretar canções que segundo eles amam. Com estilo meio MPB misturado com indie Rock os caras ganharam muita visibilidade em 2011 com a música oração que virou sucesso no Youtube com mais de 15 milhões de visualizações, e é presença garantida em todos os seus shows. A banda que atualmente está no terceiro album  – O mais feliz da vida, lançado em 2013, gravou em 2011 seu primeiro disco “A banda mais bonita da cidade” através do sistema de crowdfunding (um sistema de financiamento coletivo) que deu muito certo. Hoje eles viajam o Brasil todo levando seu som e já até fizeram uma turnê internacional. Com músicas bem românticas, outras alegres, numa pegada bem alto astral já é figurinha batida nas minhas bandas favoritas do momento. Quer saber mais sobre a banda? Clique aqui

E então, gostaram da seleção de Maio? Postem nos comentários o que mais estão ouvindo no momento e vamos conhecer mais sobre outros filmes, séries, músicas. Essa nossa vida urbana é melhor com novidades!

Até a próxima 😉

 

por Hélio Santos

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por