Sociedade / Março 23, 2015

Dia da água ou dia do descaso?

Exatamente um ano atrás escrevi um texto sobre a água e sua importância nas nossas vidas e como necessitamos desse bem tão precioso que é a água, e que é tão desperdiçado.  Entra ano e sai ano continuamos com os mesmos dilemas, que temos que diminuir o desperdício de água, saber utilizar de maneira consciente, buscar fontes de energias alternativas que não sejam a água e blá, blá.

A questão que todos nós já vivenciamos essas palavras desde a infância, você se lembra quando a “Tia” entregava aqueles folhetos explicando sobre como uma lavagem de carro é suficiente pra uma família de quatro pessoas tomar banho por dias? Pois é…tenho certeza que as crianças de hoje ainda continuam tendo o mesmo tipo de informação. O problema é que hoje, muitos já sabem o que é ficar sem água.

A forte crise hídrica, que quase todas as regiões do Brasil têm passado, mostra claramente como o país é ineficiente em campanhas de conscientização, como a população não tem percepção de que sim, um dia a água no nosso planeta pode acabar. E existem também um elemento que particularmente no estado de São Paulo tem causado certos “burburinhos” em meio aos políticos do estado.

Há mais de 10 anos pesquisadores exibiram em estudo mostrando que em algum período entre 2014 e 2015 haveria uma grande estiagem de água em boa parte do estado de São Paulo. Até então os reservatórios viviam cheios, com uma alta vazão, as chuvas frequentes, enfim nada com que se preocupar. Dez anos se passaram e as pesquisas comprovaram o que o Governo daquela época (que ainda permanece quase que o mesmo) ignorou. Uma grande estiagem de chuvas por quase todo o estado, deixando cidades inteiras e as mais populosas do país à beira da seca. Muito foi especulado, se o governo tinha total responsabilidade ou não, uma vez que foi alertado. Mas no fim, como todos sabemos, nada foi feito.

fonte: google/divulgação

fonte: google/divulgação

Essa era uma situação que poderia ser evitada, uma vez sabendo de tal problemas medidas poderiam ter sido feitas para que toda essa crise que passamos agora fosse amenizada da melhor forma possível. O Brasil é um dos poucos países em quase todo o mundo que ainda utiliza quase que majotariamente do uso da água para geração de energia elétrica. Muitos países já utilizam formas alternativas para criação de energia, muitas delas vêm de fontes renováveis e limpas, contribuindo para a preservação de todo o meio ambiente. Existem até usinas de energia eólica no nordeste do país que estão prontas há anos mais que não funcionam pois não tem uma estrutura adequada para a transmissão da energia que ali poderá ser gerada.

Todas essas situações, complicações e descaso em relação a coisas tão preciosas, como a água, energia elétrica, tão essências para a nossa sobrevivência são totalmente descuidadas e más administradas e planejadas. O poder público que nitidamente não sabe o que está fazendo, a população que não se preocupa com essas questões e por sua vez não cobra as devidas providências que precisam ser tomadas e mais uma vez nos mantendo nesse ciclo vicioso de só reclamar e reclamar e achar que as coisas são assim e nunca vão mudar. A resposta é nítida, só muda se assim nós população quisermos e pressionarmos, pois para pedir impeachment é muito simples, mas para cobrar medidas que realmente contribuam a todos: “ah pra que? Não vou ganhar nada com isso”, nunca ou raramente são feitos.

por Hélio Santos


Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por