Destaques, Sociedade / Março 27, 2016

Super-herói do dia a dia: A jornada dupla de trabalhar e estudar

(De dia atender clientes e ser eficiente no trabalho, de noite ser entusiasta e disposto a aprender mais. Nem o Demolidor iria aguentar tanto pressão assim sem pedir arrego de vez em quando).

tumblr_m3g5bgR48O1qj1doho1_500

 

 

• PRELUDIO: O SUMIÇO DAS REDES SOCIAIS

Primeiro de tudo é que sim, eu sumi novamente. Para a minha tristeza e do meu blog, eu estou longe das redes sociais como um todo há alguns meses. Não porque simplesmente me neguei a fazer parte de toda essa conexão online que vivemos, mas sim porque estou sem tempo mesmo. Voltando a essa rotina de trabalho e faculdade estou tendo uma dificuldade para organizar de forma eficiente. Mesmo fazendo um planejamento antes percebi que não foi suficiente e acabei me afastando do meu blog. Por fim, depois de quase dois meses de aula acho que agora estou de fato conseguindo engrenar as coisas de forma eficiente, tanto é que neste momento até post novo saiu. Contarei mais sobre essa vida louca de universitário e trabalhador brasileiro nas próximas linhas.

• O BIXO NA FLORESTA CHAMADA FACULDADE

Seus olhos se enchem de emoção, o sorriso bobo estampado no rosto, você não faz a menor ideia de onde é a sua sala, fica perdido olhando para as pessoas e portas com cara de tonto e começa a perdir informações de aonde é o banheiro pelo amor de Deus? Se você já fez alguma dessas coisas parabéns, você é o mais recente calouro de alguma universidade.

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Apesar dessa experiência não ser novidade para mim, entrar novamente em uma faculdade foi algo totalmente novo e desafiador. Aprender sobre um outro curso, uma outra perspectiva, a chance de conhecer pessoas novas me anima muito e só isso me fez ficar com cara de tonto no primeiro dia de aula. Logo nos primeiros dias de aula de toda aquela apresentação formal da faculdade e do curso aos calouros finalmente iniciam-se as aulas, e logo no primeiro dia algo dito me chamou a atenção e que me fez perceber algo na minha personalidade que não havia reparado antes: eu gosto de estar em uma sala de aula. Por mais estranho que algumas pessoas possam achar, ou coisas como: “O que? Não vejo a hora de terminar meu curso, não aguento mais sala de aula! ” – Eu, no entanto, percebi que gosto dessa experiência. Após ouvir de uma das minhas várias professoras que terei ao longo de semestre dizer algo semelhante, que a vivencia em sala de aula é realmente um ambiente enriquecedor e faz com que você possa ter e ver o desenvolvimento intelectual de diversas pessoas inclusive o seu é claro. E participar desse crescimento pessoal e coletivo é uma das coisas mais incríveis que podemos ver.

Após me livrar do trote universitário que na verdade nada mais foi do que um trote mesmo pois não existiu, a familiarização com a faculdade e de como as coisas funcionam foi se tornando natural e quase que imperceptível. Quando se dá conta você já está chamando o segurança de brother e dando boa noite e conversando até com os professores que nem tem aula ainda.

• FORMANDO AS PANELINHAS 

Ah, esse conglomerado de seres humanos em aprendizado intelectual nesses ambientes acadêmicos é normalmente incrível. Adoro (sqn) as panelinhas. Apesar de saber que elas existem desde os primórdios do mundo (ou você acha que todo mundo da Galileia era fechadão com nosso Senhor Jesus?), eu confesso que hoje não sou muito fã de panelas. Elas só têm como objetivo dividir e trazer discórdiaporém, elas são naturalmente formadas ainda mais em uma faculdade. Aprendi recentemente que sempre iremos procurar pessoas semelhantes a nós para estarmos próximos, dessa forma a formação de panela é inevitável, por sorte consegui estar em uma sala onde todo mundo acabou criando uma empatia muito grande com todos. Mas assim como no Big Brother, depois do primeiro paredão as coisas começam a mudar de figura e começamos a perceber quem é quem e ai sim, as panelas começam a ser utilizadas e o óleo de fritar passa a fazer parte dessa culinária acadêmica. É inevitável.

Apesar disso, os atritos são fundamentais para esse crescimento acadêmico, pois com certeza contribui para o que virá após a formatura. Como é de conhecimento de todos, não vamos trabalhar com aquele BFF para sempre, ainda mais se tiver apenas uma vaga na seleção de emprego naquela multinacional que ambos querem entrar. Saber lidar com essas situações com certeza é chave entre ter um bom networking ou ser apenas aquele cara chato da faculdade que a galera só faz trabalho em grupo porque o professor (a) obrigou.

 

•MESTRE LINGUIÇ…DIGO, QUERIDO PROFESSOR!

Ah, amados mestres, como vossa participação nesse desafio de ser universitário é crucial. Sempre fiquei fascinado de como exercer a profissão deDivulgação:Google professor é algo muito desafiador ao mesmo tempo que imagino eu deva ser recompensador. Todas aquelas ideias lançadas, aquelas perguntas que te fazem ficar com cara de paisagem para que no fim, você finalmente entenda os caminhos que ele (a) quis te conduzir. E nessas poucas semanas de aula já percebo como meus professores são pessoas que tem muito a acrescentar e a desenvolver no conhecimento de todos nós alunos.

Claro que há sempre aquele mais chatinho, que quer tudo certinho, arrumadinho do jeitinho dele. O falastrão que se perde no meio da explicação e ficamos mais em uma sala de bate-papo do que em uma sala de aula, o que não é ruim pois a troca de informações e de conhecimento acontece da mesma forma. Basta filtrá-las de forma adequada. Há também aqueles em que cada aula é uma surpresa e um misto de ódio e de alegria se misturam dentro de você, e aqueles claro que você admira de uma forma que não tem nem palavras direito pra explicar, apenas dizer: “esse (a)  professor (a) é Foda!”.

 

• MAS E AGORA, QUEM PODERÁ ME DEFENDER?

Divulgação: Google

Divulgação: Google

Nem Chapolin se arrisca a dizer isso, você mesmo é que deve. Até porque você não precisa de super herói para se defender, você já é um super herói. O jovem que hoje, sai de sua casa as 05:00, 06:00 da manhã do conforto de sua casa, enfrenta um dia estressante de trabalho, de refeições rápidas e muitas vezes não saudáveis, que enfrenta um transito desgastante todos os dias, e ainda tem disposição para estar  ate as 22:00 hrs dentro de uma sala de aula com vontade de aprender, é um puta super-herói. Um super-herói dos seus sonhos, pois você salva esses sonhos toda vez que entra na sala de aula e busca por conhecimento, um super-herói que tem como foco mudar não só a sua vida, mas de todos aqueles que estão a sua volta vendo seu esforço.

Se você se identifica assim, com certeza é puta super-herói. Nem o Batman conseguiria tanto. Se bem que com o dinheiro do Bruce Wayne as coisas poderiam ser mais fáceis não é mesmo? Essa semana meu pai me enviou o trecho de uma música que já conhecia, mas que hoje faz ainda mais sentido na minha vida. E coroa, obrigado por isso, me fez lembrar lições que você mesmo me ensinou para sobreviver nessa vida e que com certeza levarei sempre comigo. A você, meu muito obrigado por isso e por tudo.

“Porque o sol não espera, o tempo não cansa. Ontem você pediu, você pediu, mas uma oportunidade, mas uma chance. Como Deus é bom né não nego? (…) a preguiça é inimiga da vitória, o fraco não tem espaço e o covarde morre sem tentar. Não vou te enganar o bagulho ta doido e ninguém confia em ninguém, nem você, os inimigos vem de graça, é a selva de pedra, ela esmaga os humildes demais. Você é do tamanho do seu sonho, faz o certo, faz a sua (…), cabeça erguida olhar sincero, tá com medo do que? Nunca foi fácil, junta seus pedaços e sobe para a arena, mas lembrem-se, aconteça o que aconteça nada como um dia após o outro dia.” – Mano brown como sempre poeta no rap 

Esse trecho da música dos Racionais Mc’s já está se tornando um verdadeiro Hino para mim, o rap me traz esse sentimento de que por mais que as coisas são difíceis, sempre existe uma forma de se resolver e alcançar seus objetivos. Isso é só o começo, os desafios só estão chegando. Isso parece muito frase de para-choque caminhão e clichê demais, porém, não há forma melhor de mostrar de como as coisas realmente estão sendo ultimamente e irão ser. Apesar de toda essa correria, a quantidade de informações que eu recebo diariamente que fazem meu cérebro sacudir dentro do crânio, mesmo essa vida de super-herói urbano sendo uma vida perigosa e cheia de inimigos mortais, como o sono, preguiça, indisposição, estresse, trabalhos sem fim que os professores passam, eu estou feliz. Feliz por poder ter a oportunidade de aprender tanto, de conhecer tanto, de me relacionar com pessoas que nunca pensei em ter contato.

Ser um super-herói não é definitivamente uma profissão fácil, mas agora entendo porque eles continuam lutando e lutando, pois acreditam em um futuro melhor, uma vida melhor. Não só para eles mas para todas as pessoas que os cercam e até mesmo aquela que estão longe. Tio Ben não poderia ter acertado mais quando disse que com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

 

Obs.: Pra quem não conhece, segue abaixo a música “Sou + você – Racionais Mc’s” que citei no texto.

 

 

por Hélio Santos


Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

2 Respostas para "Super-herói do dia a dia: A jornada dupla de trabalhar e estudar"

Ana Karina Santos - 30 Março 2016 às 00:33

????…. como sempre escrevendo bem brother, parabéns pelo blog, é pela Batalha que vc tem todos os dia nessa rotina que não é fácil pra ninguém que trabalha e estuda, mais sempre na luta maninho.

Thaís Reis - 30 Março 2016 às 06:00

Cara,vc é incrível!!
Amei,adorei,delirei com esse texto…além de me identificar mais que o infinito.
Eu sou louca por sala de aula.Estou no meio da pós e já pensando o que vou fazer depois kkk
Obrigada pelo texto e pelo incentivo.
Tô me sentindo a Mulher Maravilha!

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por