Destaques, Listas / janeiro 30, 2019

3 maneiras simples de ter um bom início de ano

Ihh la vem…aqueles textos de início de ano, com frases motivacionais, de que você precisa ter foco, disciplina, força de vontade e tudo mais para ter um novo dia de um ano novo que começou.

Não, não vai.

Na real, são só formas simples e que muitas delas eu to testando comigo mesmo para ter um início de ano…melhor.

E que eu sinceramente espero que funcione comigo e que se for útil para você, já tá valendo, afinal de contas quando compartilhamos experiencias boas e ruins o intuito é ajuda outros com a nossa vivência.

HOJE É UM NOVO DIA, DE UM NOVO TEMPO QUE COMEÇOU

A vinha mais conhecida do fim de ano do Brasil te dá nostalgia ou vontade de sair cantando por aí prometendo um ano pra fazer diferente de novo?

Se sim, você não é o único. Eu tenho uma tese que somos programados para acreditarmos que todo início de ano vai ser diferente, mágico, engajado, mas que no fim do primeiro mês do ano (justamente esse momento do tempo) a gente começa a cair na realidade e ver que o buraco é mais em baixo, ou no mesmo lugar que já estamos acostumados: a zona de conforto.

Para que isso não aconteça basta plantarmos formas simples de conspirar ao nosso favor, de comunicar aos quatro ventos de que podemos e conseguimos fazer as coisas diferentes e melhores, desde que, claro, você tenha força de vontade e disposição para isso.

Pense nisso como a lei da semeadura para um bom início de ano, assim como o Rick Chester conta um pouco em seu livro, que aliás, eu recomendo a leitura, foi um dos inspiradores para esse post.

Pega a visão de quem tem a visão, ótima leitura! (Fonte: Amazon)

1 – ANALISAR

Reflita sobre o mês que passou, está tudo dentro do alvo? (Fonte: freepik)

Eu não to falando aqui de retrospectiva, mas de uma análise mesmo. Olhe esse primeiro mês do ano que se passou. O que vocÊ fez? Trabalhou? Descansou? Estudou? Viajou? Aqueles que está de férias, aproveitaram pra deixar as séries atrasadas em dia e passearam com o doguinho?

Pensar dessa forma te fará refletir onde está gastando seu recurso mais precioso: o tempo, e se esse gasto está sendo feito da forma que gostaria.

Fazendo isso, você tem a possibilidade de avaliar se as coisas estão dentro daquilo que idealizou/espera ou se tudo já está descambando antes mesmo de chegar o carnaval.

2 – ORGANIZAR

Gestão do tempo é fundamental (Fonte: freepik)

“Alá, demorou pra vir com o papo de gestão de tarefas, organização e os caramba a 4”.

Meu jovem, por mais simples que isso seja, eu sei que muita gente acha isso chata e dá preguiça, mas infelizmente ou felizmente a organização sim é algo fundamental pra você não ter mais um ano cocozudo e ficar botando a culpa no universo que é mal.

E eu não vou ficar explicando um milhão de formas e opções de organização, nada disso. Uma pesquisa simples no google te dá essas opções pra fazer.

O que eu quero colocar aqui é: SE ORGANIZE!

Não importa como, ou de que maneira, mas se organize.

3 – AGIR

De nada adianta analisar e organizar se falta ação, mexa-se! (Fonte freepik)

Nenhuma dessas coisas são possíveis se no fim das contas você não levanta a bunda da cadeira e vai fazer!

Não estamos no controle de tudo, mas eu acredito que a partir do momento que você se movimenta, as coisas vão acontecendo, mas que não exatamente da forma como gostaríamos que acontecesse, mas estão fluindo.

Depois de pensar e analisar aquilo que faz e se está de acordo com o que espera, de se organizar para que um controle melhor das suas atividades, mexa-se!

RESUMINDO O DISCURSO MOTIVACIONAL (SQN)

Essas três coisas juntas e integradas, funcionam como um verdadeiro triângulo de ciclo contínuo, que podem e devem ser analisadas e revistas sempre que possível, se no meio do caminho você sente que está se organizando mal, pare, analise de novo organize e siga em frente.

Fazendo essas coisas simples e que estão ao seu alcance, não é garantia de sucesso, mas de um pensar diferente, de uma tomada de decisão que pode te ajudar a melhorar seu rendimento no trabalho, na escola, faculdade.

E falo com experiência própria, pois precisei rever várias coisas da minha vida para perceber que em vários aspectos o problema não era a falta de tempo e sim de fazer a gestão errada dele, que não era o fato de ter duas jornadas, mas de sobrecarregar elas e achar que isso não iria impactar minha rotina.

Eu sei que é mais fácil culpar os outros pelos nossos erros e que em muitas vezes fazemos isso sem perceber, mas isso não tira a nossa culpa do lugar onde estamos agora. E parafraseando Barack Obama: “Na política e na vida, a ignorância não é uma virtude

por Hélio Santos


Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por