Resenha / agosto 20, 2015

Resenha: Broken City (Filme)

O filme estrelado pelos atores Mark Wahlberg e Russel Crowe, mostra uma trama bem bacana para quem é interessado em politica e tudo o que acontece nos seus bastidores, todos os segredos que queremos saber mas que poucas pessoas sabem e esses segredos como mostrado no filme, podem custar muito caro.

Lançado em Janeiro de 2013 o filme mostra como as histórias de Nicholas Hostetler (Russel Crowe) e Billy Taggart se cruzam. Perto das eleições para prefeito de Nova York, Nicholas Hostetler que é o prefeito da cidade, é um sujeito arrogante e ambicioso, que se prepara para a reeleição dentro de alguns dias. Ele contrata Billy Taggart (Mark Wahlberg), um ex-policial que caiu em desgraça na corporação, para investigar  a esposa de Nicholas (Catherine Zeta-Jones), que ele suspeita que esteja o traindo.

Vai trair o gladiador filha. Tá maluca?

Vai trair o gladiador filha. Tá maluca?

O político tem medo de que esta informação torne-se pública, sujando sua imagem e fazendo com que ele perca eleitores. Por mais que tenha antigas discordâncias com o prefeito, que foi um dos responsáveis por sua saída da polícia, precisando de dinheiro, cheio de clientes que não o pagam pelos serviços prestados, Billy aceita a tarefa depois que toma conhecimento do valor que receberá pelo trabalho. Entretanto, logo ele descobre que Nicholas tem outras intenções por trás da investigação encomendada e que ele foi “a escolha perfeita” para a tarefa dada.

A trama do filme é bem interessante, cheia de segredos, planos grandiosos, articulações politicas que vão sendo desvendadas pelo personagem de Wahlberg. Em uma cidade que se mostra corrupta existem sim as pessoas honestas que acabaram por se sujeitar “a sujar suas mãos” para livrar a cidade de falsos ídolos como o prefeito Nicholas Hostetler. Mas algo que me chamou a atenção diferente da maioria dos filmes o “mocinho” tem um fim um tanto quanto diferente, ou pelo menos pra mim que estou acostumado a ver aquele mesmo final clichê foi legal ter uma surpresa no fim.

Russel Crowe está incrível como sempre, o ator que ficou consagrado pelo seu papel em “Gladiador” mostra que é sim um grande ator. A maneira como o personagem manipula as pessoas a sua volta, molda sua imagem pública como salvador da pátria, ganhando a confiança dos eleitores e se mostrando bastante direto e disposto a fazer tudo o que for possível para atingir seus objetivos. Bem como muitos políticos brasileiros fazem (nós sabemos bem). Um ponto

Nunca se deve confiar tantos nas pessoas. Ainda mais em um político...

Nunca se deve confiar tantos nas pessoas. Ainda mais em um político…

negativo foi a participação discreta de Catherine Zeta-Jones como Cathleen Hostetler esposa do prefeito. O personagem que supostamente é o motivo da reaproximação de Taggart e o prefeito não apareceu tanto no decorrer do filme. O que na minha opinião foi um leve erro, visto que o personagem teria possibilidade de ter mais importância na história, mas isso não atrapalha em nada a trama como um todo.

Apesar dos críticos considerarem o filme regular para ruim, eu achei um bom filme. Até porque os caras supostamente entendem de filmes, e a opinião deles deve valer alguma coisa. Nada muito glorioso como as produções de Hollywood costumam ser, mas possui uma boa trama, uma história legal de ser contada e que trás uma mensagem interessante  nos mostrando um outro lado da politica que normalmente poucos sabem e podem contar a respeito. Você que precisa ver um filme para dissertar sobre aquela aula de ética na faculdade de Direito é uma boa pedida, e pra você que é apenas um amante de bons filmes esse filme também é pra você.

Broken City para mim cumpri a missão e entrega um filme bom e interessante para quem o assisti. Quem assistiu comenta ai o que achou também.

Até a próxima!

 

por Hélio Santos

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por