Autor


Aquele garoto franzino, tímido, de poucos amigos, às vezes se sentia meio que o “esquisitão” da turma?! Não, não é roteiro do típico filme de adolescentes americanos, esse sou eu. Ou pelo menos foi em uma fase da minha iniciação na vida acadêmica. Eu era aquela tipica criança gordinha e bochechuda que todo mundo queria pegar no colo e dizer aquelas palavras fofas.

Sempre demorei mais tempo pra aprender as coisas do que outras crianças da minha idade, demorei pra andar, pra falar, pra ler e escrever. Creio que tudo isso teve um motivo, depois que comecei  a andar minha mãe disse que teve trabalho em me manter muito tempo parado, depois que aprendi a falar…bem, acredito que estou fazendo Publicidade não à toa. E nesse meio tempo a leitura e a escritura se tornaram paixões da vida.

Sou formado em Logística, trabalho na área há quase 10 anos, no maior estilo os bons acasos que a vida nos dá. A logística me ensinou a enxergar o meu país de outra forma, pois acredite ou não, muitos dos serviços básicos que dependemos envolvem a logística, seus modais de transporte e a tão falada “infraestrutura”. Mesmo sabendo da sua importância, eu sei que essa não será a área que passarei os próximos 10 ou 20 anos atuando.

Ao ingressar na faculdade de Publicidade e Propaganda em 2016 descobri de fato a expressão “É isso, isso que vou fazer pelo resto da vida”. Não só pelo fato de ter o glamour de festas e premiações que muitas vezes as pessoas e muitos profissionais desse ramo acham que é. A  área oferece, o poder da comunicação, algo que me fascina. Digo “poder” porque todos temos, mas poucos tem o poder de usá-lo com sabedoria e da melhor forma que podemos.

Como qualquer outro garoto que foi adolescente em meados dos anos 2000,  descobri o que é internet e muitas das maravilhas e perigos que ela possui. Criar um blog foi consequência dessa incessante vontade de escrever e de poder através da internet compartilhar essas ideias de forma democrática e direta a quem por aqui passar.

Escrevo por vários motivos:  como uma maneira de auto-terapia, de expressar as coisas que vejo, que sinto, como uma maneira de tentar fazer o minimo de diferença no mundo, da forma que gosto: compartilhando minhas ideias e ideais.

O blog  veio como uma maneira de unir tudo isso em um único espaço e saber que pessoas acessam e acima de tudo conseguem gostar das coisas que escrevo é gratificante. Quero sempre poder proporcionar isso, pois penso que a função de alguém que escreve, é contar histórias. Sejam elas boas ou ruins, engraçadas ou tristes, reflexivas ou apenas para passar o tempo, histórias foram feitas para serem contadas, e a comunicação nos proporciona isso de inúmeras maneiras, basta estarmos abertos a tantas opções. 

Vejo nessa “arte” que é nos comunicarmos e propagarmos ideias, uma maneira de não só agregar (desde que seja para cunho do bem comum), mas de mostrar que onde menos esperamos podemos nos identificar, somar e acima de tudo realizar sonhos que muitas vezes nos parecem longe e impossíveis. 

Certa vez Chacrinha disse que quem não se comunica se trumbica, como o velho guerreiro estava certo, e acrescento: quem não se comunica, não compartilha.

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por