Comunicadores, Destaques / julho 10, 2018

COMUNICA MUITO

Falar é uma coisa simples para a maioria das pessoas certo?! Porém, existem certas pessoas que além de “simplesmente falarem” se expressam com uma comunicação que cativa e convence quem escuta. São excelentes comunicadores e por suas excelências se destacam como figuras públicas que mudaram não só o seu entorno mas em alguns casos o mundo todo.

Citando algumas dessas grandes personalidades, que possuem o chamado “dom da oratória” mostro aqui exemplos de como elas se tornaram importantes líderes que através de sua oratória conseguiram transmitir seus ideais e falar por muitos.

• MARTIN LUTHER KING JR

(No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos)

 

Martin Luther King Jr em comício com grande público. (Fonte: www.wellesley.edu).

O pastor protestante Martin Luther King Jr, foi um exemplo de homem da paz e lutador dos direitos humanos dos homens e mulheres negros dos Estados Unidos em meados dos anos 50 e 60. King sempre pregou a união e entendimento entre os homens através dos seus discursos, e esse foi um dos motivos de ganhar o Nobel da paz. Através de suas palavras onde pregava basicamente o amor, a união e a igualdade entre todas as pessoas, conceitos que aprendeu no cristianismo, King também se inspirava muito em Mahatma Gandhi, líder indiano de grande destaque.

Os Estados Unidos passavam por um momento muito difícil com a segregação racial, lideres como King ajudaram a assegurar direitos civis a homens e mulheres que antes não tinham nada. Em 1963 levou mais de 250 mil pessoas no que ficou conhecido como a marcha dos direitos civis em Washington (veja mais aqui) onde reproduziu um dos seus mais conhecidos discursos “eu tenho um sonho” usado e citado até hoje.

Esse discurso com caráter totalmente de união, de paz e de revolução para a comunidade negra trouxe grandes avanços ao país, em um momento de extrema segregação e ódio, as palavras encorajadoras de igualdade, união, foram determinantes para as mudanças na época.

 

• STEVE JOBS

(As pessoas não sabem o que querem, até mostrarmos a elas)

O olhar da inovação (Fonte: frames.com.br)

Visionário, inovador, criador e original para muitos, mas, para outros problemático, explosivo e controverso. Esse era Steve Jobs, criador da Apple, da Next (que depois se tornou o estúdio de animação Pixar), um cara que com certeza marcou o mundo em sua era digital.

Jobs ficou muito conhecido no início dos anos 80 quando lançou junto com seus sócios o primeiro computador pessoal, o que revolucionou a cultura digital da época. Com o passar dos anos e em meio há várias polêmicas (entre afastamento da presidência da empresa, fundação de outra e retorno para a Apple), Steve ficou famoso principalmente pelas apresentações incríveis que fazia nos lançamentos de seus produtos.

Acho que podemos definitivamente falar que o cara “tinha o dom”. Além de conseguir manter a atenção da audiência voltado para cada palavra que dizia, Jobs inovava sempre. Produtos novos, atualizações novas, softwares (tudo bem que tem dedo da microsoft aqui) cada vez mais incríveis, tudo isso aliado não só com a venda de um produto mas a venda de uma “experiência”. Aqui um exemplo claro de como Jobs envolvia em suas apresentações.

 

• BARACK OBAMA

(Na política e na vida, ignorância não é uma virtude.)

Esse é o cara. (Fonte: www.cnbc.com)

Momento puxação de saco, está aqui um cara que admiro. Barack Hussein Obama II, ex-presidente americano dispensa apresentações. Nos dias de hoje é difícil criarmos qualquer tipo de admiração ou afeição com políticos (Lula Livre), sempre pautamos que são mentirosos, sujos, corruptos. E na maioria das vezes eles são bem isso mesmo, e quando um cara público aparece tendo uma postura diferente da convencional e mais, cativa a maior parte da nação e até mesmo pessoas de outras nacionalidades é algo que deve ser reparado.

É uma coisa até um pouco difícil de explicar, mas se pudesse traduzir o porque dessa simpatia com o democrata americano, seria pelo seu carisma, transparência e pés no chão. Um homem com grande senso igualitário entre as pessoas, com uma visão enorme de bem comum e sendo presidente dos Estados Unidos, um país que normalmente é conhecido por sempre ter uma postura de soberania, um ar de “nós somos melhores que os outros” (e em muitos casos eles são mesmo) ter um presidente que prega igualdade fortemente é algo a ser elogiado. Barack como a maioria dos políticos, fez inúmeras promessas em sua campanha eleitoral, promessas que nem sempre foram cumpridas, o que gerou uma certa instabilidade na sociedade e dentro do seu próprio governo, mas ai vem algo que faz Obama ser o cara que é: o carisma e a liderança.

Ele tem o dom de envolver, de fazer as pessoas toparem suas ideias e seguirem com ele, bem como um carisma enorme que fez com que durante o seu mandato, situações difíceis foram contornadas de forma segura e coesa, mesmo que naquele momento, não tinha solução alguma diante do problema, a comunicação passada por ele nesses foi determinante para a aceitação dos eleitores com a sua figura de presidente.

(Abaixo um vídeo mostrando bem como a comunicação e carisma do cara são no minimo incomuns):

 

 

 


• TA MAIS…E EU COM ISSO TUDO?

Fonte: freepik.com

Em meio a tantas personalidades, tantas visões de vida, tantas idealizações podemos notar um padrão: com exceção de Jobs, todos os comunicadores que abordei aqui “aproveitaram” do momento para se destacarem, viram seja na dificuldade, na revolta, indignação ou desejo de mudança do povo uma possibilidade de se expressarem, não só pelo o que acreditavam, mas também por compartilharem do mesmo ideal da maioria das pessoas.

King mostrou muito a realidade cruel da sociedade americana e como os negros estavam fartos da segregação, isso mostrou o quão forte e sério era essa questão no país e foi ignorada por anos. Mas no momento em que ele foi o porta voz da comunidade negra algo mudou, as pessoas perceberam o tamanho do problema, e mesmo que não tenha sido resolvido totalmente muito foi mudado.

Jobs foi o “ponto fora da curva” e um visionário até nisso, pois sua comunicação foi voltada para um público que inicialmente não sabia que precisaria daquele produto e anos depois se via “presa” em sempre ter mais e mais novidades e inovações. Ele não só criou a oferta, mas como toda a demanda.

A Comunicação tem esse poder, de transformação, de mudança de revitalizar e modificar, seja uma pequena cidade no interior de Geórgia, ou uma nação toda como fizeram Obama e Hitler. Por isso essa tal “linguagem mística” que é comunicar-se nos leva a tão longe e ao mesmo tempo para perto, não faz realizar coisas grandiosas como também as mais simples. Grandes comunicadores apareceram e ainda vão aparecer no decorrer de toda a história humana, reforçando ainda mais como temos “poderes” incríveis e utilizando com responsabilidade, parafraseando Barack “sim, nós podemos”, e podemos bem mais, juntos.

por Hélio Santos

A vida Urbana • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por